ISTOÉ Gente

Lacombe diz que não gosta de ser chamado de bolsonarista: “Não sou militante e nem partidário”

Crédito: Reprodução/Instagram

O jornalista e apresentador Luís Ernesto Lacombe, que sempre é taxado de ‘bolsonarista’ nas redes sociais, deu uma entrevista para o jornal Folha de S. Paulo e falou sobre seu posicionamento político. Na sabatina, ele reforçou que não defende nenhum partido e disse que tem ideias convergentes as do presidente Jair Bolsonaro.

“Não gosto de ser chamado de bolsonarista porque não sou militante. Não tenho políticos de estimação, não sou partidário. Se não tiver senso crítico, se não for desconfiado, um jornalista deixa de existir”, contou.

Veja também:
Após descobrir menopausa precoce, Naiara Azevedo congela óvulos para engravidar
“Hoje tudo é racismo, preconceito e assédio. Um saco”, diz Glória Maria

Lacombe ainda disse que não é militante, mas um jornalista posicionado: “Não abro mão de defender menos Estado, livre mercado e um país com princípios morais, que respeite os valores em que construímos a nossa sociedade. É só olhar o que deu certo no mundo para definir o caminho para o desenvolvimento. É preciso apostar na manutenção do que funciona e na mudança gradual daquilo que pode melhorar”, conclui.

Veja também

+ Confira 4 dicas para descobrir se o mel é falsificado

+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"

+ MG: Pastor é preso por crime sexual e alega que caiu em tentação

+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela

+ Telefone de jornalista argentino roubado ao vivo em Buenos Aires

+ Márcia Bonde divulga vídeo e deixa fãs sem fôlego

+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar