Esportes

Klopp brinca com técnico rival antes de clássico: ‘Solidário, mas não tenho pena’

Crédito: Reprodução/Instagram

Líder disparado do Campeonato Inglês, o Liverpool faz nesta quarta-feira o clássico local em sua casa contra o Everton, no estádio Anfield Road, pela 15.ª rodada. Será um duelo de opostos, já que o rival não faz boa campanha e ocupa a 17.ª colocação, apenas dois pontos à frente da zona de rebaixamento, o que pode fazer com que uma derrota seja determinante para a demissão do técnico Marco Silva.

Treinador do Liverpool, o alemão Jurgen Klopp recusou nesta terça-feira um papel decisivo na continuidade do português no comando do Everton. O atual campeão da Liga dos Campeões da Europa manifestou estar “solidário” com o colega de profissão, mas rejeitou qualquer influência em uma eventual demissão de Marco Silva.

“Claro que nutro simpatia por ele porque sei como é difícil a vida de treinador. Mas a última coisa de que o Marco precisa agora é da minha pena” explicou o técnico alemão, em entrevista coletiva. “Não tenho pena dele, mas estou solidário porque conheço esta profissão”, reforçou.

Klopp foi questionado também sobre a premiação da Bola de Ouro, tradicional prêmio da revista France Football, que foi dada pela sexta vez ao craque argentino Lionel Messi, do Barcelona. O Liverpool colocou quatro jogadores no Top 10, sendo que o zagueiro holandês Virgil van Dijk ficou em segundo lugar. Os outros foram o goleiro brasileiro Alisson e os atacantes senegalês Sadio Mané e egípcio Mohamed Salah.

O treinador alemão já havia dito em entrevistas anteriores que Messi é, em geral, o melhor do mundo, mas avaliando a última temporada deveria ser o seu zagueiro o vencedor. “Já vi Messi jogar muitas vezes e é o melhor jogador que vi na minha vida. Mas não me consigo lembrar de uma temporada mais impressionante de um defensor e teria sido correto se o Virgil tivesse ganhado. E parece que esteve perto”, comentou.