Mundo

Justiça nega novo recurso de Assange contra mandado de prisão

LONDRES, 13 FEV (ANSA) – A Corte de Magistrados de Westminster, em Londres, rejeitou nesta terça-feira (13) um novo recurso apresentado pelo fundador do WikiLeaks, Julian Assange, para anular o mandado de prisão contra ele no Reino Unido.   

A ordem de captura está em vigor desde o fim de 2012, por conta do processo contra Assange na Suécia por dois supostos casos de abuso sexual. No último dia 6 de fevereiro, o tribunal já havia negado um primeiro recurso.   

Assange se refugiou em junho de 2012 na embaixada do Equador, em Knightsbridge, para evitar a extradição para a Suécia. Em dezembro deste ano, ele recebeu a nacionalidade equatoriana.   

Nesta terça, a Corte se expressou em favor da manutenção do mandado de prisão, rejeitando um dos argumentos defensivos apresentados pelos advogados de defesa, que afirmam que o pedido é uma maneira de extraditá-lo para os Estados Unidos, já que ele vazou dezenas de milhares de documentos secretos em sua plataforma.   

O Ministério Público sueco arquivou o caso em maio de 2017, mas na semana passada a juíza Emma Arbuthnot decidiu que o pedido de detenção ainda era válido do ponto de vista jurídico, porque essa decisão foi proferida depois que Assange violou as condições de sua liberdade sob fiança. No Twitter, Assange enfatizou que teoricamente “já cumpriu mais de três vezes a pena máxima” de escapar da justiça. (ANSA)