Comportamento

Justiça francesa valida fechamento de mesquita que divulgou vídeo contra professor decapitado

Justiça francesa valida fechamento de mesquita que divulgou vídeo contra professor decapitado

Policial francês diante de teatro na cidade de Montpellier com uma faixa em homenagem ao professor Samuel Paty - AFP


A Justiça administrativa francesa validou nesta terça-feira (27) a decisão do Ministério do Interior de fechar por seis meses uma mesquita que divulgou um vídeo contra o professor Samuel Paty, que mais tarde foi decapitado por um islâmico radical.

Um tribunal administrativo concluiu que as autoridades não haviam “violado grosseira e manifestamente as liberdades fundamentais” ao fechar o local de culto, de forma provisória, “para evitar a repetição desses atos”.

As autoridades censuram os responsáveis por terem divulgado em sua página do Facebook, em 9 de outubro, um vídeo que mostra o pai de uma estudante do colégio Conflans-Sainte-Honorine indignado com um curso sobre liberdade de expressão dado por Samuel Paty em 5 de outubro.

Em 16 de outubro, o professor de história e geografia foi decapitado por um jovem de 18 anos de origem russo-chechena, enquanto caminhava pelo centro.

Durante a audiência desta segunda-feira, o chefe da mesquita Pantin, localizada nos arredores de Paris, M’hammed Henniche, desculpou-se por compartilhar o vídeo e disse que estava “arrasado” diante desse “crime desprezível”.


+ Mãe conta à polícia que ateou fogo e matou bebê por ‘vergonha’ de ter a gravidez descoberta
+ Após ameaças, soldada da PM denuncia coronel por assédio sexual
+ Youtuber é perseguido por jacaré de três metros: veja vídeo



Em sua decisão, porém, o tribunal determinou que Henniche foi “negligente” e que “sua posição e deveres deveriam tê-lo levado a mostrar mais moderação”.

O tribunal argumentou ainda que a decisão de fechar temporariamente a mesquita também leva em consideração a presença de um “movimento radical” dentro dela, no qual o Imam Ibrahim Doucouré, que celebra as orações de sexta-feira ali, estaria envolvido.

Doucouré havia anunciado no domingo a suspensão de suas funções na mesquita.

Em um comunicado, a Federação Muçulmana Pantin anunciou que vai apelar dessa decisão ao Conselho de Estado, o principal tribunal administrativo da França.

Veja também

+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tenha também a Istoé no Google Notícias
+ Canadá anuncia primeira morte de pessoa vacinada com AstraZeneca no país
+ Yasmin Brunet comemora vitória de Gabriel Medina
+ Decifrado código dos Manuscritos do Mar Morto
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS