Comportamento

Justiça francesa favorável a entregar tesoureiro do genocídio de Ruanda a tribunal da ONU

Justiça francesa favorável a entregar tesoureiro do genocídio de Ruanda a tribunal da ONU

Alerta de busca de fugitivos do genocídio em Kigali, em 22 de maio de 2020, após a detenção de Félicien Kabuga na França - AFP/Arquivos

O Tribunal de Apelações de Paris anunciou nesta quarta-feira (3) uma decisão favorável à entrega de Félicien Kabuga, apontado como o tesoureiro do genocídio de Ruanda, a um tribunal da ONU.

O homem de 84 anos, que passou 25 anos foragido até sua detenção nas proximidades de Paris em 16 de maio, ainda pode apelar contra a decisão ao Tribunal de Cassação.

Os advogados de Kabuga alegaram seu estado de saúde e o temor de uma justiça parcial para rejeitar a transferência a Arusha, na Tanzânia, sede do tribunal da ONU que deveria julgá-lo por genocídio e crimes contra a humanidade.

Félicien Kabuga é acusado de ter criado, com outras pessoas, as milícias hutu Interahamwe, principais braços armados do genocídio de 1994 que provocou, segundo a ONU, 800.000 mortes, essencialmente entre a minoria tutsi. E de ter contribuído com sua fortuna para fornecer milhares de facões aos milicianos.

Mas o ex-presidente da tristemente famosa Radio Télévision Libre des Mille Collines (RTLM), que divulgou convocações para o massacre de tutsis, nega todas as sete acusações apresentadas contra ele.

Veja também

+ Entenda como a fase crítica da pandemia de Covid-19 pode ter sido superada em SP
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Ford Ranger supera concorrentes e é líder de vendas
+ Cantora Patricia Marx se assume lésbica aos 46 anos de idade
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior