Mundo

Justiça espanhola põe ex-líder do ETA David Pla em liberdade condicional

Justiça espanhola põe ex-líder do ETA David Pla em liberdade condicional

(2015) David Pla é detido no sudoeste da França - AFP/Arquivos

O tribunal nacional da Espanha anunciou ter decretado a liberdade condicional, nesta quarta-feira (19), do ex-líder do antigo grupo separatista armado basco ETA David Pla, acrescentando que o mesmo não poderá deixar o país e deve comparecer semanalmente ao julgamento.

A medida deste tribunal superior em Madri, competente em casos relacionados ao terrorismo, ocorre um dia depois de ter sido entregue pelas autoridades da Gália à Espanha, onde é reivindicado por sua suposta participação em uma reunião com outros membros do grupo em 2008, no sudoeste da França.

Pla, de 45 anos, é apontado como um suposto membro do comitê executivo do ETA, o grupo separatista dissolvido em 2018. À organização atribuem-se mais de 850 mortes em 40 anos de luta armada pela independência do País Basco e Navarra.

Em setembro de 2015, foi preso na França, juntamente com a também líder política da ETA Iratxe Sorzabal e, em fevereiro de 2019, foi condenado a cinco anos de prisão por um tribunal de Paris por associação criminosa para fins terroristas.

Pouco depois, em março de 2019, foi libertado após cumprir a maior parte de sua sentença em prisão preventiva. Estava sob controle judicial, tendo de comparecer duas vezes por semana à delegacia de polícia de Hendaye, uma cidade fronteiriça no sudoeste da França.

Em um desses controles, na quinta-feira passada, Pla foi preso para ser entregue à Espanha na terça.

Sua advogada Xantiana Cachenaut se opôs à entrega e disse à AFP que os investigadores franceses comprovaram que Pla não estava na região, quando ocorreu a reunião em que a Espanha alega que ele esteve.