Geral

Justiça condena 33 por lavagem de dinheiro e tráfico de drogas no táxi

Trinta e três pessoas foram condenadas a penas que variam de dois anos a 31 de prisão por associação e tráfico de drogas e lavagem de dinheiro na Operação Taxímetro, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público de Minas.

A ação foi deflagrada em setembro de 2018 com apoio das Polícias Civil e Militar e cumpriu 35 mandados de prisão preventiva e 48 de buscas e apreensões.

A Taxímetro mirou organização criminosa que lavava dinheiro obtido no tráfico de drogas por meio de um táxi. O grupo era formado até por integrantes de uma mesma família e atuava nos municípios de Guanhães, São João Evangelista, São Pedro Suaçuí e Serro, no Vale do Rio Doce.

A organização também tinha rastros criminosos em cidades maiores, como Montes Claros, no Norte de Minas, e Belo Horizonte. A Operação Taxímetro é considerada a maior operação do Gaeco na comarca de Guanhães.

+ Menina engasga ao comer máscara dentro de nugget do McDonald’s

Veja também

+ Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

+ Seu cabelo revela o que você come (e seu nível socioeconômico)

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Bolsonaro veta indenização a profissionais de saúde incapacitados pela covid-19

+ Nascidos em maio recebem a 4ª parcela do auxílio na quarta-feira (05)

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?