Economia

Juros terminam em alta forte, com impasse contínuo no Orçamento


Os juros futuros encerraram a sessão desta sexta-feira em alta forte nos vencimentos médio e longo, à medida que o mercado se frustrou com a permanência do impasse quanto ao Orçamento de 2021. A tensão política ganhou novos contornos com a determinação, na quinta-feira à noite, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), para a instalação da CPI da Pandemia. O mercado também acompanhou dados de inflação no Brasil, menos intensos do que o previsto, e no exterior, que surpreenderam para cima.

Havia na quinta à noite uma expectativa de que o presidente Jair Bolsonaro iria deliberar nesta sexta sobre se veta ou não o Orçamento. De um lado, a ala técnica do Ministério da Economia viu em declarações dele no jantar com empresários, na quarta, sinalização de que os recursos de emendas seriam bloqueados. De outro, a alta cúpula do Congresso enviou recados duros ao governo.

A pressão aumentou no período da tarde desta sexta, quando Câmara e Senado publicaram pareceres indicando que o presidente pode sancionar o Orçamento de 2021 sem vetos.

Segundo apurou o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), a divulgação desses documentos é um movimento alinhado entre os congressistas para impedir bloqueios de recursos. A reportagem apurou ainda que a equipe econômica também está se cercando de embasamento jurídico pelos vetos.

“O mercado se angustiou e decidiu repor prêmios, ninguém quer passar o fim de semana comprado (em Brasil)”, resumiu o gerente de mesa de câmbio e juros de uma corretora paulista.


+ Mãe conta à polícia que ateou fogo e matou bebê por ‘vergonha’ de ter a gravidez descoberta
+ Após ameaças, soldada da PM denuncia coronel por assédio sexual
+ Youtuber é perseguido por jacaré de três metros: veja vídeo



Assim, a taxa do Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2022 subiu de 4,671% na quinta a 4,725% nesta sexta (regular) e 4,695% (estendida). O janeiro 2025 passou de 8,116% a 8,28% (regular) e 8,24% (estendida). E o janeiro 2027 foi de 8,754% a 8,93% (regular) e 8,89% (estendida).

Veja também

+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tenha também a Istoé no Google Notícias
+ Canadá anuncia primeira morte de pessoa vacinada com AstraZeneca no país
+ Yasmin Brunet comemora vitória de Gabriel Medina
+ Decifrado código dos Manuscritos do Mar Morto
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS

Tópicos

taxas de juros