Economia

Juros: taxas longas seguem melhora externa e curtas sobem com BC mais ‘hawkish’

A curva de juros desinclina na manhã desta segunda-feira, 6, com recuo dos juros longos em sintonia com o dólar e a melhora do humor no exterior diante da desaceleração do coronavírus na Europa. Já os curtos sobem após o tom mais conservador, ou “hawkish”, de Campos Neto em relação à política monetária, sinalizando manutenção da Selic em maio. Além disso, o IGP-DI de março mostrou forte aceleração na margem.

Às 9h15 desta segunda, a taxa de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2021 subia a 3,23%, de 3,17% no ajuste anterior. O vencimento para janeiro de 2022 operava estável, a 4,12%. O DI para janeiro de 2025 caía a 6,98%, de 7,20% no ajuste de sexta-feira.

Tópicos

taxas de juros