Economia

Juros sobem com dólar em manhã de agenda escassa

As taxas de juros negociadas no mercado futuro oscilam em alta na manhã desta quinta-feira, 5, alinhadas ao avanço do dólar, que transita em torno do patamar dos R$ 4,22 nos mercados à vista e futuro. A agenda doméstica é mais fraca nesta quinta-feira e teve como destaque doméstico, até agora, apenas os dados do setor automobilístico de novembro, divulgado pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Os dados mostraram queda de 7,1% na produção de veículos no mês passado, na comparação com outubro. Sobre novembro de 2018, houve queda de 21,2%.

A ocorrência de leilão de títulos prefixados do Tesouro nesta quinta-feira poderia ser fator extra de pressão sobre os contratos de DI, mas operadores afirmam que ainda é cedo para algum movimento nesse sentido, uma vez que o Tesouro ainda não divulgou os montantes de LTN e NTN-F a serem ofertados.

Às 10h20, o contrato de DI para janeiro de 2021 tinha taxa de 4,69%, ante 4,67% do ajuste de ontem. O vencimento de janeiro de 2023 projetava 5,85%, ante 5,82%. O DI para janeiro de 2025 ajustava a taxa para 6,44%, de 6,42% do ajuste anterior.

Depois dos dados do Produto Interno Bruto (PIB) e da produção industrial, as atenções se voltam agora ao resultado do IPCA de novembro, que será divulgado nesta sexta-feira.

Será o último indicador econômico da semana que antecede a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que no próximo dia 11 decide sobre a taxa Selic.

Veja também

+ Por falta de provas, Justiça nega pedido da defesa da ex-mulher do atacante Dudu
+ Namoro de Angela Ro Ro chega ao fim e ela desabafa: “Fui traída e usada”
+ Cantora Patricia Marx se assume lésbica aos 46 anos de idade
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior

Tópicos

taxas de juros