Economia

Juros curtos caem após IPCA e longos sobem com Treasuries e cautela local


Os juros futuros operam sem direção única na manhã desta sexta-feira, com os curtos com leve recuo após o IPCA de março ter subido 0,93%, ficando abaixo do piso das estimativas dos analistas ouvidos pelo Estadão/Broadcast (0,94% e 1,10%). Além disso, o diretor de Política Monetária do Banco Central, Bruno Serra, reforçou ontem à noite a indicação de nova dose de alta 75 pontos-base da Selic em maio.

Já os longos e médios avançam em sintonia com a alta dos juros dos Treasuries e refletindo cautela local com o Orçamento de 2021. O investidor também digere a criação da CPI da Pandemia no Senado, após determinação do ministro do STF Luís Roberto Barroso, um revés para o presidente Jair Bolsonaro. A CPI tem como objetivo investigar ações e omissões do governo Jair Bolsonaro no combate à pandemia da covid-19.

Às 9h18 desta sexta, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2027 subia a 8,83%, de 8,75% no ajuste de quinta-feira. O DI para janeiro de 2023 subia para de 6,45%, de 6,42%, enquanto o vencimento para janeiro de 2022 caía para 4,64%, na máxima, de 4,67% no ajuste de ontem.

Veja também

+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tenha também a Istoé no Google Notícias
+ Canadá anuncia primeira morte de pessoa vacinada com AstraZeneca no país
+ Yasmin Brunet comemora vitória de Gabriel Medina
+ Decifrado código dos Manuscritos do Mar Morto
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS

Tópicos

taxas de juros