Edição nº2534 13/07 Ver edições anteriores

Juntos nas nuvens

Andressa Anholete

É pura futrica a versão de que o deputado Rodrigo Maia e o ministro Moreira Franco se dão mal. Dizem, até, que o presidenciável do DEM só se refere ao titular das Minas e Energia como “o marido da minha sogra”. Mas eles se adoram, especialmente quando compartilham mordomias pagas pelos contribuintes. Já compartilharam, por exemplo, um jatinho da FAB para viajar ao Rio de Janeiro. Depois de um final de semana bem carioca embarcaram rumo a Brasília. O clima a bordo foi róseo.

Justiça
Pai temeroso

Onze anos depois do escândalo, Renan Calheiros não foi julgado por ter recebido dinheiro da Mendes Júnior para pagar pensão ao filho que teve com Mônica Veloso. Há dias, ele soube que a 2ª Turma do STF baterá o martelo “no segundo semestre” e está empenhado em fazer com que isso aconteça até 14 de setembro. O senador espera contar com os votos dos “garantistas” Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli a seu favor. Mas sabe que, a partir daquela data, Toffoli será substituído no colegiado por Carmem Lúcia. E teme que o paraíso feche as portas.

Cargos
Velhas energias

Prova definitiva de que a privatização da Eletrobrás foi para o brejo – ao menos no governo Temer – é que a politicalha de sempre já está em campo para indicar o sucessor do demissionário Wilson Ferreira Júnior na presidência da estatal. O imortal José Sarney, que acaba de emplacar o novo diretor-geral da ANEEL, está confrontando a bancada mineira do MDB na Câmara por mais essa boquinha. Seu preferido para o cargo é Flávio Decat, que já comandou Furnas.

Judiciário
Reação imediata

divulgação

Caso o Legislativo aprove a MP 832, do preço mínimo para o frete rodoviário, conforme votou a Comissão Especial formada por deputados e senadores, numa sessão relâmpago que durou cerca de dois minutos, na semana passada, a AGU vai propor a Michel Temer que vete parte do texto. Especificamente, na anistia de multas da ordem de R$ 700 milhões aplicadas com aval do STF durante a paralisação dos caminhoneiros, entre maio e junho. Ao propor pendurar a conta, a AGU entende que o Congresso interfere na autonomia de outros Poderes da República, o que a Constituição não permite.

Eleições
O sucessor

Em prisão domiciliar por ordem da Justiça e doente, Paulo Maluf estará presente na campanha para a Câmara dos Deputados, em São Paulo. Formado em Relações Internacionais e diretor do Palmeiras, Guilherme Ribeiro vai buscar votos dos eleitores pelo PRB, apresentando-se como “herdeiro político” do ex-governador. Tem 34 anos e é filho de Jessé Ribeiro, amigo de Maluf há décadas. E sobre aquilo que se afirma em relação ao teu mentor, indaga a Coluna? “São acusações discutíveis. Cresci ouvindo sobre as sua obras como prefeito e governador”, responde.

PSDB
Aliança à vista

Mister Shadow/Estadão Conteúdo

Caso Geraldo Alckmin dê ouvidos ao general Eduardo Villas-Bôas, comandante do Exército, o seu vice será Aldo Rabelo, pré-candidato à Presidência da República pelo Solidariedade. Foi o próprio ex-governador tucano quem fez a revelação, numa recente conversa em Brasília. Consultado a respeito, o ex-ministro dos Esportes e da Defesa foi rápido: “Com qual agenda?” Apesar de ser contra a privatização e a reforma da Previdência, Rabello não descartou a ideia.

Redes Sociais
Vitória virtual

Divulgação CBF

Antes mesmo do jogo contra a Bélgica, a seleção de Tite vencera o adversário em dois “campos” mapeados pelo Google. Segundo o site de pesquisas, o time mais buscado das quartas-de-final no planeta era a Inglaterra (24%), seguida da Rússia (19,7%) e do Brasil (17,6%). A Bélgica com 9,1% ocupou o sexto lugar. Com a ferramenta focando exclusivo em nosso País, a situação mudou bastante: Brasil em primeiro (58,2%), Bélgica atrás (15,9%) e Uruguai a seguir (8,5%). Finalmente, o Google e seus múltiplos aplicativos quiseram saber a quais duas partidas o mundo mais estava interessado em assistir nas quartas-de-final: França x Uruguai (47,84%), Brasil x Belgica (29,87%).

STF
Recuo tático

Nos últimos dias, investigados e condenados da Lava Jato começaram a ter uma mesma apreensão. Ou seja, o temor de que o clima quente entre o juiz Sérgio Moro, desembargadores federais, procuradores da República e ministros do Supremo Tribunal Federal lhes atinja de alguma maneira. Por isso, aos muitos advogados de defesa houve uma mesma recomendação: “Vá com calma, doutor!”.

MPF
Ganhou o meio ambiente

O Tribunal Regional Federal da 2a Região acaba de rever a condenação da União e do Ibama a pagarem indenização de R$ 2,7 milhões (valor a atualizar) para dois casais donos de terras incluídas, em 1971, no Parque Nacional da Serra da Bocaina. O Tribunal reformou a sentença da 11a Vara Federal do Rio de Janeiro favorável à ação movida em 1976 em que pediam a indenização por desapropriação. Com a decisão, caberá aos casais pagarem as custas e os honorários advocatícios. Nos autos ficou patente o interesse do casal em extrair mata nativa e produzir carvão no sítio em que viviam.

INPI
Zorra total

Um dado exótico reforça a percepção de que o Instituto Nacional de Propriedade Industrial virou casa de doido. Nem é preciso lembrar a fila de 230 mil pedidos de patente esperando por análise do órgão, em processos que demoram mais de dez anos. Basta citar que, em apenas dois anos e dez meses, seu atual presidente, Luiz Otávio Pimentel, já nomeou cinco diretores de Administração. Parece piada, mas não é.

Lava Jato
Pindaíba de réu

Rodolfo Buhrer/Reuters

Com quase R$ 80 milhões em bens bloqueados pela Justiça, o ex-ministro Antônio Palocci ainda não pagou os advogados que o defendem na Operação Lava Jato. Como sua delação premiada foi homologada no mês passado, é possível que ele recupere, ainda em julho, a liberdade e o talão de cheques.

Nordeste
Faltou análise

Divulgação/Suape

Após a 25ª morte por ataque de tubarões desde 1992, descobre-se que o estudo de impacto ambiental do Porto de Suape não investigou tal possibilidade. Análises científicas mais recentes correlacionam esses ataques em Pernambuco à obra de construção do terminal, cuja grande característica é ter surgido no meio do mar.

Cultura
Musical à vista

Depois do sucesso do lançamento de seu livro semi-autobiográfico “Trocando Em Miúdos As Minhas Canções”, Francis Hime está transformando-o em show, onde canta seus principais sucessos e fala sobre seu processo criativo. Praticamente, um livro
que canta. A estreia será no dia 21 de julho, no Teatro Municipal de Niteroi, sob a direção geral de Flávio Marinho e a participação especial de Olívia Hime.”

 


Mais posts

Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.