Brasileiros do Ano 2017

Juliana Paes: “É muito difícil fazer papel de bandida no Brasil”

Crédito: Marco Ankosqui

Atriz Juliana Paes recebe o prêmio de Brasileira do Ano na categoria Televisão de Carlos José Marques, diretor editorial da IstoÉ (Crédito: Marco Ankosqui)

“O que a Bibi está fazendo aqui?, brincou a atriz Juliana Paes ao receber o prêmio Brasileiros do Ano, da revista IstoÉ. “Obrigada. Estou lisonjeada com o prêmio. É muito difícil fazer papel de bandida no Brasil, principalmente nesses tempos que vivemos no Rio de Janeiro. Achei que fosse apanhar na rua. Me surpreendi. As pessoas começaram a torcer pela Bibi. O povo que gosta de novela quer se emocionar. Novela é coisa do Brasil, sou muito feliz por ser brasileira.”

A atriz Juliana Paes brilhou nas telas da novela “A Força do Querer” interpretando Bibi Perigosa e por isso foi premiada na categoria Brasileiros do Ano na Televisão da revista IstoÉ. Bibi deixou de ser uma mulher simples para se tornar uma traficante, que se envolveu com o crime por amor. Juliana conseguiu dar vida a personagem que antes  era conhecida somente nos livros e que ganhou destaque na trama.

A atriz não para por aí. Ela está em cartaz nos cinemas como a protagonista da refilmagem de ” Dona Flor e seus Dois maridos”e no ano que vem voltará às passarelas do samba como Rainha de Bateria da escola de Grande Rio.

 

Veja também

+ Confira 4 dicas para descobrir se o mel é falsificado

+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"

+ MG: Pastor é preso por crime sexual e alega que caiu em tentação

+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela

+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar