Economia

JPMorgan cria índice para medir impacto de tuítes de Trump nos mercados

JPMorgan cria índice para medir impacto de tuítes de Trump nos mercados

O banco JPMorgan criou o índice "Volfefe" que mede a volatilidade gerada por tuítes do presidente Donald Trump - AFP

Donald Trump está tuitando mais nos últimos meses, e seus tuítes têm uma influência maior nos mercados, de acordo com um relatório do banco JPMorgan Chase que analisou as mensagens do presidente dos EUA na rede social.

Em resposta a este hábito de Trump, o banco criou o índice “Volfefe” que mede a volatilidade gerada por seus tuítes. O JPMorgan disse que os comentários de Trump sobre política comercial e monetária se multiplicaram em agosto e exacerbaram a volatilidade no mercado de títulos.

Os analistas estudaram os movimentos do rendimento de títulos do Tesouro dos EUA a 10 anos em vários intervalos; minuto a minuto, a cada cinco minutos e uma hora.

“Por essa métrica, em agosto a frequência dos ‘tuítes que movimentam o mercado’ disparou”, diz o relatório. “O mais importante é que eles raramente foram associados a um alto aumento de volatilidade”, acrescenta ele.

O nome estranho do novo índice se inspirou em um tuíte do presidente de maio de 2017 com a expressão “covfefe”, uma palavra que não existe em inglês. As palavras que mais movimentaram os mercados incluem “China”, “bilhões” e “produtos”, seguidas de “dólares”, “tarifas” e “comércio”.

O relatório não analisa tuítes individuais de agosto, que foi um mês complicado para o mercado de ações devido à intensificação da guerra comercial sino-americana e a inversões da curva de juros da dívida americana – um sinal de que uma recessão está chegando.

Os tuítes de Trump em agosto incluíram o anúncio do aumento das tarifas sobre produtos chineses e um ataque ininterrupto ao presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, para reduzir as taxas de juros. Trump chegou a dizer em 23 de agosto que Powell é um “inimigo maior” do que o presidente da China Xi Jinping.