Cultura

Jovens reivindicam em Cannes a ‘liberdade para criar’ com o TikTok

Jovens reivindicam em Cannes a ‘liberdade para criar’ com o TikTok

Cartaz do 75° Festival de Cinema de Cannes no Palácio dos Festivais, em Cannes, em 17 de maio de 2022 - AFP


Os vídeos curtos do TikTok representam a “liberdade para criar” sem a necessidade de dinheiro e a possibilidade de inventar uma “nova gramática visual” com planos verticais, acreditam os jovens que usam este popular aplicativo, parceiro desta edição do Festival de Cannes.

Pela primeira vez, a plataforma lançou um concurso de curtas-metragens, para dar visibilidade a criações “muito mais bem construídas do que (os tiktokers) costumam fazer” explica Angèle Diabang, cineasta senegalesa, membro do júri do #TikTokShortfilm, que entregou seus prêmios na sexta-feira.

Claudia Cochet, atriz francesa de 34 anos e tiktoker assídua, ganhou o prêmio de “melhor roteiro” por uma peça de três minutos, “Princesse moderne”.

“O TikTok me dá liberdade criativa e um público” e “me dá confiança para fazer as coisas por conta própria”.

Para o concurso #TikTokShortfilm, esta criadora quis abordar um assunto sério, que em princípio não condiz com o tom lúdico da plataforma: a violência contra a mulher

Excepcionalmente, a atriz filmou com uma câmera 16K. Sua criação não mostra violência física, e há poucas palavras, mas retrata muitos sinais do desconforto e da emoção em torno de uma menina abusada que acaba cometendo algo irreparável para se defender.

O formato vertical do TikTok “nos permite reinventar toda uma nova gramática visual”explicou Camille Ducellier, diretora francesa e membro do júri, durante a cerimônia de premiação.

Eric Garandeau, diretor do TikTok France, idealizador do concurso, disse que “dezenas de milhares de criadores” de 44 países participaram. O TikTok, diz ele, “nos leva de volta às origens do cinema”.

O esloveno Matej Rimanic, vencedor do Grande Prêmio, faz uma alusão às primeiras criações da história do cinema com uma história de amor em preto e branco, na qual dois jovens de vinte e poucos anos trocam mensagens por meio de aviões de papel.

O júri desta primeira ediçõ foi heterogéneo, desde Khaby Lame, a segunda pessoa com mais seguidores na plataforma, ao cineasta franco-cambojano Rithy Panh, presidente do júri.