Geral

Jovem tem nome do ex-namorado tatuado à força no rosto; polícia prende suspeito


Um jovem de 20 anos teve a prisão preventiva decretada após tatuar seu nome no rosto da ex-namorada de 18 anos, em Taubaté, interior de São Paulo. A jovem já tinha duas medidas protetivas contra o agressor. Mesmo assim, ele a cercou na rua, a obrigou a entrar em seu carro e a manteve em sua casa durante a noite de sexta-feira para sábado, 21, obrigando-a a submeter-se à tatuagem. Neste domingo, 22, durante audiência de custódia, a Justiça manteve a prisão do suspeito. Ele foi encaminhado para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Taubaté.

A mãe da jovem registrou boletim de ocorrência. Mensagens trocadas entre o rapaz e a mãe da ex-namorada, mostram que ele já vinha agredindo a jovem e passou a ameaçar a família. A mulher relatou à polícia que a filha saiu para ir a um curso na tarde de sexta-feira e não retornou.

A mãe foi à casa do rapaz, no bairro Parque Taubateguaçu, e viu a filha no carro dele. Logo depois, já em casa, ela notou que a filha tinha hematomas e estava com o rosto tatuado. O jovem foi detido por ter descumprido a medida protetiva que o impedia de se aproximar da ex.

Uma troca de mensagens por aplicativo entre a mãe e o ex-namorado da filha revela um conteúdo de ameaças contra a jovem e sua família. Em um momento, a mãe diz que ele já bateu muito na filha e pede que se afaste dela. “Por favor, tô pedindo. Para com isso. Você já bateu muito nela. Eu sei de tudo o que você fez, sei de todas as ameaças”, escreveu.

O rapaz respondeu com nova ameaça: “Devia ter pensado em tudo isso antes de fazer o que fez.” A mãe insistiu: “Você a vida inteira bateu nela”, ao que ele retrucou: “Corta o papinho”.

Em outro ponto, o rapaz sugere enfrentar o pai da jovem. “Fala pro seu marido ficar aí na frente. Não quero ver crianças nem as meninas aí, só você e seu marido.” Outro trecho mostra a mãe quase implorando para ele deixar de assediar a filha, pois ela não o quer mais. “É só aceitar e viver”, pede.

Ele volta a retrucar com ameaças. “Ô dona, para de mandar mensagem para mim, por favor. Nada que você falar ou deixar de falar vai mudar o que eu vou fazer, fechou?”

Procurada nesta segunda-feira, 23, a mãe disse que a família está assustada e com medo de que o jovem saia logo da prisão e queira se vingar. Ela disse que sua filha foi forçada pelo rapaz a gravar um vídeo autorizando a tatuagem. Segundo a mãe, ela apanhou, foi imobilizada e ameaçada de morte durante a ação violenta.

O casal iniciou o relacionamento em 2019 e, no início de 2020, ela sofreu a primeira agressão, conseguindo a primeira medida protetiva. Eles chegaram a ficar seis meses separados, mas retomaram o relacionamento. As agressões se repetiram e a mãe conseguiu uma nova medida protetiva para a filha.

O nome da vítima não foi divulgado para preservar sua identidade. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado de São Paulo confirmou a prisão do jovem e disse que todas as circunstâncias do fato noticiado serão apuradas pela Polícia Civil. “Detalhes serão preservados para garantir autonomia ao trabalho policial”, informou.

O suspeito não tinha advogado constituído até a manhã desta segunda. A reportagem entrou em contato com a Defensoria Pública do Estado de São Paulo e ainda aguarda retorno.

Em 2017, jovem foi tatuado após suspeita de roubo

Em junho de 2017, um adolescente foi raptado por dois homens quando tentava furtar uma bicicleta e teve a testa tatuada com os dizeres “sou ladrão e vacilão”. Os próprios agressores postaram imagens na internet. O tatuador Maycon Wesley Carvalho dos Reis e o pedreiro Ronildo Moreira de Araújo, foram presos pelo crime. No processo, eles alegaram que Ruan tentava furtar a bicicleta de um deficiente físico.

No mesmo ano, o tatuador foi condenado a 3 anos de prisão por lesão corporal gravíssima e 4 meses e 15 dias por constrangimento ilegal. Já o vizinho recebeu pena de 3 anos e 6 meses por lesão corporal e de 5 meses e 7 dias por constrangimento ilegal – eles já estão em liberdade.