O Dia

Jovem que teve ‘ladrão e vacilão’ tatuado na testa é condenado a mais de 4 anos de prisão

Ruan Rocha da Silva foi condenado por ter sido flagrado em fevereiro deste ano fur­tando R$ 20, um moletom e um celular em um posto de saúde da cidade de Grande São Paulo. Ele foi preso em flagrante na época do crime

São Paulo – O jovem Ruan Rocha da Silva, de 19 anos, que ficou conhecido após ter a frase “eu sou ladrão e vacilão” tatuada na testa por suspeita de roubar uma bicicleta em São Bernardo do Campo (SP), foi sentenciado a quatro anos e oito meses no regime semiaberto. A decisão é da juíza Sandra Regina Nostre Marques, da 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campos.
Ruan Rocha da Silva foi condenado por ter sido flagrado em fevereiro deste ano fur­tando R$ 20, um moletom e um celular em um posto de saúde da cidade de Grande São Paulo. Ele foi preso em flagrante na época do crime e poderá pedir para cumprir a sentença em regime aberto quando cumprir 1/6 da pena.

Na sentença, a juíza diz que é necessário que Ruan continue preso. A magistrada considera que ele demonstrou ser “pessoa perigosa ao convívio social”.

“Considerando que o réu demonstrou ser pessoa perigosa ao convívio social, haja vista o emprego de violência exercida contra uma das vítimas, considerando, ainda, que o acusado já se viu envolvido com a Justiça, ainda quando menor, às voltas com a prática de atos infracionais, a situação evidenciada no caso concreto justifica a manutenção de sua prisão preventiva”, anota na decisão.
Quando teve a testa tatuada, no dia 31 de maio de 2017, Ruan tinha 17 anos.

Em março do ano passado, o jovem também havia sido preso em flagrante, em Mairiporã (Grande SP), acusado de tentar roubar desodorantes em um mercado.