Brasil

Jovem contou sobre mau pressentimento a amigas antes de ser morta

Crédito: Arquivo Pessoal

Corpo de Patrícia foi encontrado em matagal (Crédito: Arquivo Pessoal)

Cinco testemunhas já prestaram depoimento no caso do assassinato da jovem Patrícia Aline dos Santos, de 29 anos, encontrada morta em um matagal, na última quinta-feira (9), perto de um shopping de Palmas, no Tocantins. Em entrevista ao G1, o delegado Israel Andrade, que conduz as investigações, contou que um dia antes de ser assassinada a vítima relatou às amigas, por meio de mensagens, que estava com mau pressentimento.

“Um dia antes de morrer, em uma das mensagens, ela diz: ‘amiga, eu estou com um mau pressentimento, eu acho que o Iury vai me matar’. A amiga falou para ela procurar a polícia, ela não quis, falou que não queria que chegasse a esse ponto, que iria deixar”, relatou o delegado.

Entre as testemunhas ouvidas estão amigas da vítima e o pai de Iury Italu Mendanha, namorado da jovem e principal suspeito do crime. Segundo o delegado, o pedido de prisão do rapaz já foi feito à Justiça. Durante o depoimento, as amigas também conseguiram comprovar que a jovem era ameaçada e agredida por ele.

“Eles namoraram por dois meses. Ele parece que era muito possessivo e violento, mas, há uma semana, ela terminou com ele, depois voltaram. Então, passou a ser ameaçada e agredida com maior frequência. Inclusive na semana passada, ele esteve na casa dela, pulou o muro e portando um revólver, bateu nela. As amigas dizem que ela aparecia às vezes com hematomas”, contou o delegado.

O pai de Iury foi ouvido pela polícia e disse que o filho mandou mensagem se despedindo no mesmo dia em que o corpo da jovem foi encontrado.