A Procuradoria russa anunciou nesta quinta-feira (13) que o jornalista americano Evan Gershkovich, preso desde 2023, será julgado em breve nos Urais por “espionagem”, uma vez que é acusado de ter recolhido informações sobre uma fábrica de tanques para a CIA.

“O processo criminal foi enviado ao tribunal regional de Sverdlovsk para análise do mérito”, afirmou a Procuradoria, que acusa o repórter que trabalhava para o The Wall Street Journal de ter “recolhido informações secretas” sobre o fabricante de tanques Uralvagonzavod para os serviços americanos.

Gershkovich, seu empregador e a Casa Branca negam as acusações.

O repórter está na conhecida penitenciária de Lefortovo, em Moscou, desde que foi detido.

Moscou ainda não havia divulgado detalhes sobre o caso, afirmando apenas que Gershkovich foi “preso em flagrante”.

Ele é o primeiro jornalista ocidental detido na Rússia por espionagem desde a época soviética.

Segundo as autoridades russas, uma possível troca de prisioneiros envolvendo Gershkovich está em discussão.

O presidente russo, Vladimir Putin, sugeriu publicamente que, para libertar Gershkovich, quer a liberdade de um homem acusado pela Alemanha de trabalhar para o Estado russo ao matar um rebelde checheno em Berlim.

Washington acusa Moscou de prender cidadãos americanos para trocá-los por russos presos por crimes graves no exterior.

bur/jj/an-bc/mb/jc/dd