Esportes

Jorginho revela quem receberia seu voto para melhor jogador do mundo

Crédito: Reprodução/Instagram

Campeão da Eurocopa com a Itália e eleito o melhor jogador da Europa, o brasileiro Jorginho conversou com Daniel Mundim e Jorge Natan, do podcast ‘Gringolândia’, e abriu o jogo sobre seu voto para melhor jogador do mundo. O jogador ainda rasgou elogios para seu técnico, Thomas Tuchel, e falou sobre a temporada mágica do Chelsea – que venceu a Champions League na última temporada e a Supercopa da UEFA.

Questionado se estava esperançoso com um possível prêmio de melhor jogador do mundo, Jorginho afirmou que está tentando não criar muitas expectativas. “Cara, vou te falar a real, eu estou tentando não criar tantas expectativas. É lógico que não vou ser hipócrita e dizer que não penso, porque é impossível, mas eu tento não focar muito, não criar muitas expectativas, porque quanto mais expectativas você cria, ou talvez acaba sendo uma coisa que você já estava esperando, ou talvez a joia, a alegria, não seja aquela explosão, ou você cria tanta expectativa que a decepção é bem maior. Então, eu tento buscar esse equilíbrio de deixar um pouco de surpresa”, disse.


Na entrevista, Jorginho também foi perguntado sobre quem ele votaria para ser o melhor do mundo. “Só vou dizer o primeiro [colocado], não precisa nem dos outros dois. Jorginho, tá louco?”, brincou o jogador. “Eu votaria no Kanté, talvez. Eu ficaria entre o Kanté e o De Bruyne. Sinceramente, são dois jogadores completamente diferentes, por características, mas são dois jogadores que vem demonstrando muito, que eu admiro, que eu vejo jogar e me da prazer, porque é um futebol bonito”, acrescentou.

Ao falar de Tuchel, o brasileiro naturalizado italiano contou que o técnico alemão possui um vasto conhecimento em futebol. “Ele é um treinador de nível muito alto, que tem um conhecimento muito grande de futebol e, como pessoa, ele é sensacional, então acaba facilitando todo o processo. […] Acredito que ele teve uma inteligência muito grande de ter chegado aqui, reconhecido as características dos jogadores que ele tinha a disposição, identificado a maneira melhor que a equipe poderia jogar, e confiou, passou confiança, passou serenidade para trabalhar, e os resultados acabaram chegando”, concluiu.