Esportes

Jogadores do Palmeiras ironizam carrinho de Soteldo em Mayke: ‘Segue o jogo’

Venezuelano deu uma tesoura no palmeirense, mas foi advertido apenas com o cartão amarelo, fato que gerou indignação do lado alviverde

Jogadores do Palmeiras ironizam carrinho de Soteldo em Mayke: ‘Segue o jogo’

A grande polêmica do empate de 2 a 2 entre Santos x Palmeiras neste sábado (5), na Vila Belmiro, em jogo válido pelo Brasileirão, foi a dura entrada do santista Soteldo no lateral-direito Mayke, do Palmeiras, ainda na primeira etapa. O camisa 10 do Peixe deu uma tesoura e quase tirou o palmeirense da partida.

Confira a tabela do Brasileirão

​Mayke ficou caído no gramado por alguns instantes sentindo dores no tornozelo esquerdo, mas logo se recuperou e seguiu na partida. O árbitro Flávio Rodrigues de Souza aplicou apenas o cartão amarelo para Soteldo, fato que gerou revolta dos palmeirenses.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

Após a partida, os meias Raphael Veiga e Lucas Lima postaram o lance em suas respectivas redes sociais com a legenda: ‘segue o jogo’, claramente ironizando a decisão do juiz de não ter expulsado o santista.

​A expulsão de Zé Rafael nos últimos instantes de partida revoltou ainda mais o elenco alviverde, que viu falta de critério da arbitragem em lances capitais da partida.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Veja o significado dos 10 sonhos mais comuns
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel