Esportes

Jogador da Sampdoria é alvo de insultos raciais em jogo

SÃO PAULO, 21 OUT (ANSA) – A estreia do técnico Claudio Ranieri na Sampdoria foi manchada por um mais um caso de violência racial no futebol italiano. O jovem meia Ronaldo Vieira, do clube genovês, foi alvo neste domingo (20) de insultos por parte da torcida da Roma.   

Os cânticos racistas aconteceram durante o intervalo da partida, disputada no Luigi Ferrari, que terminou 0 a 0.   

Ciente do acontecido, a Roma emitiu nas redes sociais um pedido de desculpas ao atleta de 21 anos, que é natural de Guiné-Bissau.   

“A Roma pede desculpas a Ronaldo Vieira pelos insultos racistas.   

O clube não tolera qualquer tipo de racismo e vai dar todo o apoio às autoridades para identificar e banir os responsáveis”, escreveu o clube.   

Também pelas redes sociais, a Sampdoria agradeceu a Roma pela mensagem e destacou a união para fazer um futebol melhor.   

Em entrevista à emissora “RAI”, Vieira afirmou que ouviu os insultos, mas preferiu não falar sobre o caso. O atleta da Sampdoria ainda relembrou que isso acontece com “frequência” no futebol italiano e disse que “não devia ser desta forma”.   

Revelado pelo Leeds United, o atleta tem passagem pelas seleções de base da Inglaterra. O jovem meia está desde julho de 2018 na Sampdoria.(ANSA)

Veja também

+ Toyota Corolla Cross é SUV do Corolla para brigar com Jeep Compass e cia; confira imagens oficias
+ Robert De Niro reduz limite do cartão da ex-mulher e diz que coronavírus implodiu suas finanças
+ Dancinha de Miley Cyrus com namorado no TikTok viraliza e ganha versões brasileiras
+ Kawazaki suspende suas vendas na França
+ MasterChef estreia sem "supercampeão" e cheio de mudanças
+ Gafanhotos: cidade na Bahia enfrenta invasão de insetos
+ Coronel da PM diz que Bolsonaro é ‘falastrão’ e renuncia à entidade de Oficiais
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior