Esportes

Japonês do badminton admite aposta em cassino clandestino e deve perder Olimpíada

Segundo colocado do ranking mundial do badminton, o japonês Kento Momota era nome certo na Olimpíada do Rio, mas agora deverá desfalcar a equipe do seu país. O problema não foi uma lesão ou o mau resultado em um torneio classificatório, mas sim uma aposta ilegal em um cassino clandestino que o jogador admitiu ter realizado.

Nesta quinta-feira, Momota admitiu ter realizado apostas em um cassino de Tóquio que vinha sendo monitorado pela polícia desde maio do ano passado. Este tipo de estabelecimento é proibido no Japão e os apostadores podem ser condenados a até três anos de prisão.

Momota deverá responder a processo por conta da infração e ainda é incerto seu futuro, mas na esfera esportiva o ocorrido deve mesmo tirá-lo da Olimpíada. O secretário-geral da Associação Japonesa de Badminton, Kinjo Zeniya, chegou a dizer que seria “incapaz de nomear” o atleta para os Jogos.

Momota foi o primeiro japonês da história a conquistar uma medalha em um Mundial de Badminton, feito realizado no ano passado em Jacarta, na Indonésia. Seu colega de equipe, Kenichi Tago, número 63 do ranking, também admitiu ter participado de apostas no mesmo local e deve ser punido.