ISTOÉ Gente

James Franco chega a acordo com alunas que o acusaram de abuso

Crédito: Divulgação

James Franco (Crédito: Divulgação)


Sarah Tither-Kaplan e Toni Gaal concordaram em retirar o processo que moviam contra o ator James Franco por conduta sexual inapropriada. O abuso teria acontecido na agora extinta escola de atuação Studio 4, fundada em 2014 pelo o ator e fechada três anos depois.

Segundo o Page Six, as duas atrizes e ex-alunas chegaram a um acordo na Suprema Corte de Los Angeles. Os dois lados conversaram sobre um acordo por vários meses.

As alunas acusaram o ator de tê-las forçado a fazer cenas de sexo explícito diante da câmera em um “contexto de orgia que foi além dos limites aceitos em Hollywood”. Tither-Kaplan alegou pela primeira vez as alegações de má conduta sexual contra Franco no início de 2018, depois que ele ganhou um Globo de Ouro por seu papel em “Artista do Desastre”.

Desde que as acusações vieram à tona, Franco tem se mantido fora dos holofotes, embora ainda tenha vários projetos de cinema e televisão em andamento.

De acordo com Page Six, a ação coletiva afirma que os incidentes ocorreram em uma master class sobre cenas de sexo que James Franco ministrou no Studio 4. A acusação diz ainda que o ator e diretor “procurou criar um canal de mulheres jovens que foram submetidas à sua exploração sexual pessoal e profissional em nome da educação” e que as estudantes foram levadas a acreditar que isso as levaria a papéis de destaque em filmes de Franco.