O ator Jackie Chan recebeu no sábado um Oscar honorário pelo conjunto de sua carreira, em uma cerimônia realizada em Los Angeles, na qual muitos astros de Hollywood expressaram suas dúvidas sobre o futuro dos Estados Unidos sob a presidência de Donald Trump.

Independente de sua angústia política, todos os presentes ficaram de pé para aplaudir Jackie Chan, um dos maiores artífices do cinema de ação graças a seus 200 filmes.

“Depois de 56 anos na indústria do cinema, de fazer mais de 200 filmes e de quebrar tantos ossos, no final é minha!”, exclamou, referindo-se à ambicionada estatueta do Oscar.

A meca do entretenimento apoiou de forma quase unânima a democrata Hillary Clinton, para quem arrecadou milhões de dólares.

Durante a cerimônia dedicada a Chan, o astro Tom Hanks declarou que Donald Trump “tem uma grande responsabilidade e muito a demonstrar a partir de 20 de janeiro de 2017”, dia de sua posse.

Simon Helberg, que interpreta o nerd Howard Wollowitz no premiado sitcom “The Big Bang Theory”, foi além e afirmou que a vitória do magnata “foi um momento terrível para o mundo” e desejou que “o governo Trump não prejudique nosso futuro”.

Assine nossa newsletter:

Inscreva-se nas nossas newsletters e receba as principais notícias do dia em seu e-mail

A editora Anne Coates (“Lawrence da Arábia”), o diretor de casting Lynn Stalmaster (“A primeira noite de um homem”) e o cineasta de documentários Frederick Wiseman (“Titicut Follies”) também foram homenageados com um Oscar honorário.


Siga a IstoÉ no Google News e receba alertas sobre as principais notícias