Economia

Itaú Unibanco afirma que não teve acesso a informação sobre delação de Eike

Em resposta a ofício enviado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o Itaú Unibanco afirma que não teve acesso a qualquer informação sobre o conteúdo de uma suposta delação premiada do empresário Eike Batista que envolveria o Itaú BBA.

Segundo a coluna de Lauro Jardim, do jornal O Globo, o empresário apontou a participação de seis bancos em operações irregulares na Bolsa. Segundo ele, são eles o JPMorgan, Goldman Sachs, BTG Pactual, Itaú BBA, Morgan Stanley e Credit Suisse. As operações totalizariam US$ 1 bilhão.

“O Itaú Unibanco enfatiza que todas as operações que realiza, seja no mercado de capitais ou no mercado de crédito, seguem os mais altos padrões de governança corporativa, são supervisionadas pelas autoridades competentes e reportadas para tais autoridades”, diz o banco na resposta.

O banco ressalta ainda que o tipo de operação mencionada, de Notas Participativas, é um produto financeiro comum, e as operações foram publicamente informadas ao mercado.