Mundo

Itália pede apoio aos EUA para conter crise na Líbia

ROMA, 24 JAN (ANSA) – O presidente da Itália, Sergio Mattarella, recebeu nesta sexta-feira (24), em Roma, o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, com quem debateu o processo para garantir maior estabilidade na Líbia. “A Líbia é uma questão de importância primordial para a Itália, porque o estado de guerra no país é motivo de extrema preocupação e, portanto, é crucial que os Estados Unidos gastem seu peso político para garantir um ‘cessar-fogo’ permanente e avançar na Conferência de Berlim”, afirmou Mattarella. Durante encontro no Palácio do Quirinal, sede da presidência, que contou com a presença do ministro das Relações Exteriores, Luigi Di Maio, o vice de Donald Trump destacou como Washington acompanha com atenção a crise na Líbia.   

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

Segundo fontes políticas, Pence iniciou a conversa perguntando como os Estados Unidos poderiam se tornar úteis. O questionamento resultou no apelo de Mattarella para o governo americano consolidar uma pacificação no país africano. O mandatário da Itália explicou que é necessário comprometer “o prestígio político americano para construir a paz” porque existe “um alto risco de fragmentação da Líbia” e de “desestabilizar toda a área do Magrebe”, o noroeste árabe da África. A Líbia é palco de conflitos entre milícias desde que se fragmentou politicamente após a queda de Muammar Kadafi, em 2011. A nação ficou dividida entre o governo do primeiro-ministro Fayez al-Sarraj e as forças do marechal Khalifa Haftar.   

A partir disso, diversos líderes internacionais realizaram cúpulas na tentativa de pacificar o território e garantir a estabilidade política e econômica do país. Na reunião, os dois líderes também destacaram a luta contra o antissemitismo e o vínculo entre os Estados Unidos e a Itália que, de acordo com Pence, “nunca foi tão forte”. O vice-presidente americano reiterou que o país europeu está entre os parceiros mais importantes no campo da segurança, destacando a presença de 30 mil americanos entre militares e civis. Pence ainda expressou sua esperança de que os laços econômicos entre os dois países possam crescer mais e ressaltou estar “ansioso para discutir maneiras de fortalecer a prosperidade e segurança” bilateral. Logo depois, o líder americano foi recebido pelo primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, no Palazzo Chigi, durante cerca de uma hora. A crise na Líbia também foi um dos principais temas do encontro. Conforme relatos, o premier italiano reiterou a importância de exercer pressão de todos os lados por uma solução política para os conflitos no país africano. (ANSA)

Veja também

+ Após foto “com volume” ser derrubada no Instagram, Zé Neto republica imagem usando bermuda

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Morre mãe de Toni Garrido: “Descanse, minha rainha Tereza”

+ Após morte de cachorro, Gabriela Pugliesi adota nova cadela

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea