Mundo

Itália lança pesquisa para estimar imunização a coronavírus

ROMA, 25 MAI (ANSA) – O governo da Itália iniciou nesta segunda-feira (25) uma pesquisa de âmbito nacional para tentar estimar o nível de imunização de sua população ao novo coronavírus.   

O estudo submeterá 150 mil pessoas distribuídas por 2 mil municípios italianos a testes sorológicos que detectam a presença de anticorpos a partir de amostras de sangue.   

Esse tipo de exame é capaz de identificar indivíduos que já foram expostos e eliminaram o coronavírus Sars-CoV-2 sem sabê-lo, embora sejam ineficazes para os primeiros dias de infecção, já que leva algum tempo para o sistema imunológico começar a produzir anticorpos.   

Os resultados da pesquisa serão usados para direcionar políticas nacionais ou regionais de contenção à pandemia, que já tem cerca de 230 mil casos e quase 33 mil mortes confirmadas na Itália.   

O estudo é controlado pelo Ministério da Saúde e pelo Instituto Nacional de Estatística (Istat), e as amostras sorológicas serão coletadas pela Cruz Vermelha. As pessoas serão selecionadas com base em critérios demográficos estabelecidos pelo Istat.   

O governo também lançou uma campanha na rede pública Rai para sensibilizar a população sobre a importância de participar da pesquisa – no Brasil, equipes de um estudo semelhante conduzido pela Universidade Federal de Pelotas chegaram a ser atacadas e até detidas devido à falta de informações sobre o levantamento.   

As pessoas escolhidas serão contatadas por telefone pela Cruz Vermelha para agendar um horário para a coleta de sangue em laboratórios selecionados. Indivíduos vulneráveis poderão fazer o exame em casa.   

“A duração da pesquisa deve ser de 15 dias”, disse à ANSA o presidente do Istat, Gian Carlo Blangiardo, que prevê a divulgação antecipada de uma primeira parcial relativa a 20 mil exames.   

Até o momento, segundo a Defesa Civil, 2,2 milhões de pessoas na Itália já fizeram o teste RT-PCR, que busca o material genético do vírus em secreções da faringe e serve para detectar infecções ativas, ou seja, só consegue determinar se a pessoa está contaminada naquele momento ou não. (ANSA)

Veja também

+ Toyota Corolla Cross é SUV do Corolla para brigar com Jeep Compass e cia; confira imagens oficias
+ MasterChef estreia sem "supercampeão" e cheio de mudanças
+ Gafanhotos: cidade na Bahia enfrenta invasão de insetos
+ Coronel da PM diz que Bolsonaro é ‘falastrão’ e renuncia à entidade de Oficiais
+ Fundador da Ricardo Eletro e filha são presos em operação contra sonegação
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior

Tecnologia & Meio ambiente

Itália lança pesquisa para estimar imunização a coronavírus

ROMA, 25 MAI (ANSA) – O governo da Itália iniciou nesta segunda-feira (25) uma pesquisa de âmbito nacional para tentar estimar o nível de imunização de sua população ao novo coronavírus.   

O estudo submeterá 150 mil pessoas distribuídas por 2 mil municípios italianos a testes sorológicos que detectam a presença de anticorpos a partir de amostras de sangue.   

Esse tipo de exame é capaz de identificar indivíduos que já foram expostos e eliminaram o coronavírus Sars-CoV-2 sem sabê-lo, embora sejam ineficazes para os primeiros dias de infecção, já que leva algum tempo para o sistema imunológico começar a produzir anticorpos.   

Os resultados da pesquisa serão usados para direcionar políticas nacionais ou regionais de contenção à pandemia, que já tem cerca de 230 mil casos e quase 33 mil mortes confirmadas na Itália.   

O estudo é controlado pelo Ministério da Saúde e pelo Instituto Nacional de Estatística (Istat), e as amostras sorológicas serão coletadas pela Cruz Vermelha. As pessoas serão selecionadas com base em critérios demográficos estabelecidos pelo Istat.   

O governo também lançou uma campanha na rede pública Rai para sensibilizar a população sobre a importância de participar da pesquisa – no Brasil, equipes de um estudo semelhante conduzido pela Universidade Federal de Pelotas chegaram a ser atacadas e até detidas devido à falta de informações sobre o levantamento.   

As pessoas escolhidas serão contatadas por telefone pela Cruz Vermelha para agendar um horário para a coleta de sangue em laboratórios selecionados. Indivíduos vulneráveis poderão fazer o exame em casa.   

“A duração da pesquisa deve ser de 15 dias”, disse à ANSA o presidente do Istat, Gian Carlo Blangiardo, que prevê a divulgação antecipada de uma primeira parcial relativa a 20 mil exames.   

Até o momento, segundo a Defesa Civil, 2,2 milhões de pessoas na Itália já fizeram o teste RT-PCR, que busca o material genético do vírus em secreções da faringe e serve para detectar infecções ativas, ou seja, só consegue determinar se a pessoa está contaminada naquele momento ou não. (ANSA)

Veja também

+ Toyota Corolla Cross é SUV do Corolla para brigar com Jeep Compass e cia; confira imagens oficias
+ MasterChef estreia sem "supercampeão" e cheio de mudanças
+ Gafanhotos: cidade na Bahia enfrenta invasão de insetos
+ Coronel da PM diz que Bolsonaro é ‘falastrão’ e renuncia à entidade de Oficiais
+ Fundador da Ricardo Eletro e filha são presos em operação contra sonegação
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.