Mundo

Itália firma protocolo com medidas anti-Covid nas escolas

ROMA, 6 AGO (ANSA) – O Ministério da Educação da Itália e os sindicatos do setor de ensino firmaram nesta quinta-feira (06) o protocolo sanitário e de segurança contra a disseminação do novo coronavírus (Sars-CoV-2) no retorno dos estudantes às escolas em 14 de setembro.   

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

Entre as medidas definidas estão alterações nas faixas de horário de entrada dos alunos para evitar grandes aglomerações, o fim das classes “superlotadas”, a higienização constante dos espaços, um serviço técnico de ajuda às instituições e testes gratuitos para detectar a Covid-19 nos professores. Neste momento, no entanto, a realização dos exames será voluntária.   

No documento, a pasta se compromete “a ativar a colaboração institucional com o Ministério da Saúde, com o comissário extraordinário [para gestão da pandemia] e com a Autoridade Garantidora para a proteção dos dados pessoais a fim que seja dada a oportunidade de desenvolver testes diagnósticos para todos os funcionários do sistema escolar estatal e paritário, incluindo os funcionários suplentes, em concomitância com o início das atividades didáticas e durante o ano, além de efetuar testes de amostra para a população estudantil com periodicidade”.   

O texto ainda confirma um rascunho obtido pela ANSA em 27 de julho, que citava que esses exames seriam realizados fora das unidades de ensino.   

O protocolo ainda prevê que, para reduzir o acesso de “visitantes” nas estruturas, o estudante poderá ser acompanhado “apenas por um só genitor ou pessoa maior de idade delegada pelos genitores ou que exerce a responsabilidade de genitor” dentro das escolas. Essa pessoa será obrigada a usar máscara durante todo o período que estiver na instituição.   

Outro ponto importante implantado será um acompanhamento psicológico para “enfrentar situações de insegurança, estresse, temor de contágio, dificuldades de concentração e situações de isolamento vivenciadas” dos alunos e professores. A parceria foi firmada entre o Ministério e o Conselho Nacional de Ordem de Psicologia.   

“Esse é um acordo importante que contém medidas adotadas para garantir a proteção da saúde dos estudantes e dos funcionários, mas também tem o compromisso de olhar para o futuro e para as melhorias das escolas – como no caso do combate as chamadas classes ‘galinheiros’, uma batalha que luto há anos e que representa para mim uma prioridade”, disse a ministra Lucia Azzolina após a assinatura.   

Azzolina ainda se comprometeu a buscar recursos para enfrentar essa superlotação das salas de aula o que, além de demandar replanejamento das instituições, pede verbas para ampliação de escolas.   

Maddalena Gissi, secretária de uma das entidades sindicais da negociação, a CISL Escola, se disse “satisfeita” com o acordo em entrevista ao jornal “La Repubblica”.   

“Esse é o primeiro modelo participativo assumido pelo Ministério da Educação e terá reverberação em uma ampla plateia de trabalhadores e usuários. Ficamos atentos para ver se o ministério inteiro vai manter o que assinamos. As dificuldades para a retomada em setembro continuam abertas”, ressaltou.   

Diferentemente de outros países europeus, a Itália optou por encerrar o ano letivo 2019/2020 à distância, em medida que gerou críticas de partidos de oposição e de parte dos sindicatos.   

(ANSA).   

Veja também

+Cidadania divulga calendário de pagamentos da extensão do auxílio emergencial

+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’

+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ Entenda por que seu cão segue você até no banheiro

+ Nova Honda CB125F 2021 consegue fazer o recorde de 67 km/l

+ Fazenda 2020: Mariano e Jake se beijam na área externa da casa

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea