Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

ROMA, 27 JUN (ANSA) – A Itália não descarta instituir um racionamento diurno de água para combater a seca que atinge algumas das principais bacias hidrográficas do país, como as dos rios Pó e Tibre.   

Essa hipótese chega em meio à hesitação do governo italiano em declarar estado de emergência por conta da estiagem, apesar da pressão feita pelas regiões desde meados de junho.   

“Em algumas zonas do país, com certeza não se exclui o fato de que um racionamento de água leve a um fechamento temporário até nas horas diurnas”, declarou o chefe da Defesa Civil da Itália, Fabrizio Curcio, em entrevista à emissora Sky Tg24.   

“Precisamos entender os sinais meteorológicos das próximas semanas”, acrescentou. De acordo com Curcio, o governo italiano e as regiões estão “definindo” os critérios para a declaração de estado de emergência e as medidas decorrentes desse instrumento.   

“Acredito que teremos as medidas mais claras nos próximos dias, no máximo nas próximas semanas, e poderemos fazer a declaração de estado de emergência”, disse.   

A situação é mais grave nas regiões atravessadas pelo Rio Pó, cujo nível está 80% abaixo da média para esta época do ano.   

“Nunca vimos uma crise hídrica desse tipo na história da Lombardia”, afirmou o governador da região mais populosa da Itália, Attilio Fontana, durante evento em Milão.   

Além da Lombardia, o Pó, maior rio da Itália em extensão, também corta o Vêneto, a Emilia-Romagna e o Piemonte, onde algumas cidades já fazem racionamento noturno de água. (ANSA).