Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

JERUSALÉM/VARSÓVIA (Reuters) – Israel e Polônia concordaram em melhorar as relações que se deterioraram depois que Varsóvia introduziu uma lei no ano passado limitando a capacidade dos judeus de recuperar propriedades da Segunda Guerra Mundial, ao afirmarem nesta segunda-feira que vão restaurar mutuamente os embaixadores.

A medida marcou uma mudança para o novo primeiro-ministro israelense, Yair Lapid, que, como ministro das Relações Exteriores, classificou como “antissemita e imoral” o projeto de lei que afeta a propriedade confiscada pelos ocupantes alemães nazistas e retida pelos governantes comunistas da Polônia no pós-guerra.

“Foi acordado que as relações serão restauradas ao seu devido curso”, informou um comunicado divulgado pelo presidente israelense, Isaac Herzog, depois que ele falou com seu colega polonês, Andrzej Duda.

“Ambos os presidentes expressaram esperança de que quaisquer questões futuras entre Polônia e Israel sejam resolvidas por meio de um diálogo sincero e aberto e com espírito de respeito mútuo”, acrescentou.

O gabinete de Duda disse que o embaixador polonês em Israel, chamado de volta durante a turbulência, deve retornar. O gabinete de Herzog informou que o novo embaixador de Israel na Polônia apresentará suas credenciais nos próximos dias.

“Estamos tentando consertar nossas relações com Israel”, afirmou o assessor de política externa do presidente polonês, Jakub Kumoch, segundo o site de notícias Onet. “Sem perdedores ou vencedores. Estamos dando mais uma chance para relações normais.”

(Reportagem adicional de Alan Charlish)

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEI630PW-BASEIMAGE