Mundo

Israel afrouxa ainda mais uso de máscaras em locais fechados


TEL AVIV, 15 JUN (ANSA) – Após cerca de um ano e três meses de obrigação, os israelenses não precisarão mais usar máscaras de proteção contra a Covid-19 a partir desta terça-feira (15) em locais fechados.   

Há apenas pouquíssimas exceções: trabalhadores e moradores não vacinados – ou em tratamento – que atuem ou vivam em estruturas públicas para idosos, como asilos ou centros de saúde; pessoas em quarentena ou que chegaram de viagens aéreas; e em escolas, já que os estudantes com menos de 16 anos não foram vacinados.   

Atualmente, o país vacina os adolescentes de 12 a 15 anos e uma nova mudança pode ser anunciada em breve. As demais crianças ainda não podem ser imunizadas porque as fórmulas foram criadas apenas para pessoas acima dessa idade e os novos estudos para a faixa etária estão em andamento.   

O Ministério da Saúde fez a nova liberação por conta do avanço da campanha vacinal no país, o que ajudou a derrubar a média de casos diários.   

Segundo dados do portal Our World in Data, Israel tem 59% da sua população-alvo totalmente imunizada contra o coronavírus Sars-CoV-2, ou seja, que recebeu as duas doses, e 3,9% dos cidadãos que receberam uma dose ao menos. Os 62,9% de imunizados colocam o país como um dos mais avançados no mundo na imunização. Já a média de casos está na faixa dos 15 contágios por dia. (ANSA).   

Veja também
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ ‘Transo 15 vezes na semana’, diz Eduardo Costa ao revelar tratamento por vício em sexo
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago