Economia

IPO da Vivara vira ‘hit’ no mercado e movimenta R$ 2,29 bilhões

IPO da Vivara vira ‘hit’ no mercado e movimenta R$ 2,29 bilhões

A rede de joalherias Vivara ganhou a atenção do mercado financeiro ao longo das últimas semanas. O fato se refletiu na elevada demanda dos investidores em sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), que movimentou R$ 2,29 bilhões. A ação da Vivara, batizada de “VIVA3”, estreia na B3 na quinta-feira, 10. A companhia chega na bolsa brasileira com um valor de mercado de R$ 5,7 bilhões, depois de precificar sua ação em R$ 24, um pouco acima do centro da faixa indicativa de preço (R$ 21,17 a R$ 25,40), conforme antecipado pelo Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado. Com a demanda, foram vendidos, ainda, os dois lotes extras. Ao todo foram 95.654.226 ações.

Do total, R$ 453,472 milhões são oriundos da oferta primária, com a venda de novas ações que injetará recursos ao caixa da companhia. Do total levantado, 65% serão utilizados para abertura de lojas. O restante será destinado, por exemplo, para aumento do parque fabril e até mesmo para a criação de uma nova marca. Aquisições no mercado serão analisadas. O mercado de joalheria no Brasil é muito pulverizado, o que abre espaço para movimentos de consolidação.

Da oferta secundária, que representa a maior parte dos recursos do IPO, a venda foi feita pela família fundadora, os Kaufman.

A oferta da Vivara, a primeira emissão de ação de outubro, foi lançada já com o interesse forte de investidores e com o engajamento dos chamados investidores âncoras, que são aqueles que já se comprometem com a oferta, antes mesmo dela ir oficialmente a mercado. Além desses investidores institucionais, o IPO da Vivara invadiu as redes sociais, em busca do engajamento das pessoas físicas que têm, dia a dia, aumentado seus investimentos em ações no Brasil, em um momento em que as baixas taxas de juros pressionam os investidores que buscam mais rentabilidade.

O lucro líquido da Vivara no primeiro semestre deste ano foi de R$ 186 milhões, aumento de 142% em relação ao observado no mesmo intervalo do ano passado. A geração de caixa, medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de R$ 223,2 milhões, expansão de 87,3%. A receita líquida, por sua vez, foi de R$ 523,7 milhões, crescimento de 12,8% na relação anual.

A Vivara foi criada em 1962, com sua primeira loja no centro de São Paulo. Hoje, é a maior rede de joalherias do Brasil, com mais de 230 pontos de vendas.

Os bancos que coordenam a oferta são o Itaú BBA, Bank of America Merrill Lynch, XP Investimentos e JPMorgan.