Comportamento

Instagram em movimento

Com nova “função TV”, plataforma adere à tendência das redes sociais de dar ao usuário boas razões para que permaneça conectado por mais tempo

Crédito: Divulgação

INOVAÇÃO? Kevin Systrom apresenta o IGTV: nada além do que o Youtube sempre ofereceu (Crédito: Divulgação)

O limite de apenas 1 minuto para vídeos no Instagram ficou no passado. Agora, quem deseja mostrar aos amigos trechos mais longos de imagens em movimento ou acompanhar os vídeos que as celebridades postam já não precisa deixar o Instagram e acessar outra plataforma. A nova atualização do aplicativo que nasceu para ser uma rede social de fotografias traz uma funcionalidade ousada: o IGTV, uma ferramenta que permite que qualquer usuário crie um canal e poste vídeos com até uma hora de duração. O formato também é inovador: em vez de seguir o padrão horizontal das telas de TV e cinema, funciona na vertical. “Nós reimaginamos vídeos no celular e queremos dividir com vocês. Isso transforma os vídeos”, disse Kevin Systrom, presidente-executivo e cofundador do Instagram. A celebridade Kim Kardashian já criou dois vídeos no IGTV, um deles com 5,6 milhões de visualizações. Outra novidade anunciada é o bate papo de vídeo entre duas pessoas ou um grupo. As imagens das pessoas podem ser minimizadas e, assim, é possível conversar e ao mesmo tempo navegar por perfis ou fotos na rede — semelhante ao Skype.

Atualizações são estratégicas para que redes sociais não caiam no esquecimento nem sejam superadas por novos aplicativos, como aconteceu com Orkut e MSN. O Instagram Stories, lançado em 2016, trouxe o mesmo recurso que o Snapchat já oferecia: permitir ao usuário postar fotos ou vídeos que somem depois de 24 horas. O que o usuário ganha com esse tipo de novidade é apenas a vantagem de conseguir acessar os recursos sem mudar de plataforma. Por outro lado, passar mais tempo navegando em apenas um aplicativo desfavorece a concorrência.

Ainda assim, as reinvenções do Instagram desde sua compra pelo Facebook, em 2012, são lucrativas. Se na época a empresa custou US$ 1 bilhão, hoje ela vale cem vezes esse valor, segundo relatório divulgado pela Bloomberg Intelligence. O levantamento prevê ainda que dentro dos próximos cinco anos o Instagram terá 2 bilhões de usuários e, já em 2019, suas receitas poderão superar US$ 10 bilhões.

Youtube pago

VENDAS Segundo Neal Mohan,novidades do Youtube favorecem merchandising (Crédito:FilmMagic)

Embora ajudem a empresa a lucrar e a valer mais, as novidades recentes do Instagram não trazem recursos propriamente novos. O que o IGTV faz já é oferecido pelo Youtube, pertencente ao Google, e que também acaba de anunciar novidades. Uma delas é o Channel Memberships, recurso que permite ao usuário assinar um canal e pagar uma taxa mensal para receber conteúdos exclusivos. Segundo o chefe de produtos Neal Mohan, há a intenção de aprimorar ferramentas que incentivem a interação entre produtores e os inscritos nos canais, gerando assim mais merchandising e vendas. Sobre a chegada do IGTV, a plataforma de vídeos se mantém confiante. “Concorrência é sempre algo positivo, pois traz crescimento para o mercado global. Agora há mais de 1,9 bilhão de espectadores conectados que visitam o YouTube todos os meses — para comparação, no ano passado, na VidCon, anunciamos 1,5 bilhão de usuários logados”, diz Cauã Taborda, gerente de comunicação do YouTube no Brasil. “Os canais do YouTube que geraram seis dígitos ou mais em receita aumentaram 40% em relação ao ano passado, e os canais que ganham cinco dígitos por ano cresceram mais de 35%”, diz ele.