“Tem a casa da mamãe. Tem a casa do papai. E elas são diferentes. Mas não importa, tanto faz. Porque o amor, ele é demais.” O trecho da canção Pais Separados, de autoria da cantora e compositora Elisa Gatti, de 38 anos, viralizou nas redes sociais. No Instagram, no YouTube e no TikTok, a artista é a Mãe Musical,projeto que retrata sua realidade com a filha Chiara, de três anos. Ela sempre usou a música para se conectar com a menina e falar de assuntos difíceis. Isso foi levado à internet com o lema: vamos cantar sobre isso? E assim nasceram melodias leves de temas sensíveis, como guarda compartilhada, assédio e abuso. O material didático agradou a famílias em busca de auxílio na missão de educar os pequenos. “As pessoas usam as composições dentro de casa para moldar a relação com os filhos. A criança não tem maturidade emocional para lidar com determinadas situações e a música, de alguma forma, ajuda”, considera. Elisa é um exemplo de influenciadora do bem, uma criadora de conteúdo que usa as redes sociais a serviço de algo maior: informar e instruir.

A bióloga Ana Duarte, 25, é outra profissional com destaque na web. Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Minas Gerais, ela coloca tudo no microscópio. A curiosidade dos internautas pelas imagens ampliadas e as análises da especialista são o mote do conteúdo informativo. “Pensei: o que as pessoas vão gostar de ver? Peguei uma formiga e fiz um vídeo, e foram milhões de visualizações”, relembra. Dia desses, ela desmentiu uma fake news sobre vermes na banana. “Nunca imaginei conciliar minha formação com as redes sociais. Eu achava que ninguém se interessaria. Mas consegui unir conhecimento com entretenimento na internet”, comemora. Ela já analisou até sêmen de boi em seu canal, e vez ou outra lida com ofertas curiosas. “Recebo mensagem assim: ‘Ana, tirei as pedras da vesícula. Quer que eu envie para você colocar no microscópio?”, diverte-se.

Advogados, professores, arquitetos e outros profissionais viram influenciadores digitais
ANA DUARTE Bióloga tem 2,8 milhões de seguidores no TikTok: tudo vai parar no microscópio (Crédito:Divulgação)

A urbanista Luísa Luniere, 29, também conquistou sua fatia considerável na web. No Instagram, ela usa o humor ao falar de paisagismo e engenharia. A profissional analisa obras e construções de qualquer tipo. “Normalmente, critico coisas que estão em tendência ou na moda. Tem muita coisa que eu sei, enquanto arquiteta, que não é bom”, frisa. Um exemplo? Armários com porta de vidro. “Não funciona porque vai ficar cheio de marca de dedo. É o que aviso nos meus vídeos”, detalha. O tom descontraído desmistifica ideia de que contratar um arquiteto é um serviço elitizado. “De forma simples, mostro que não é preciso gastar horrores.”

Conscientizar e descomplicar são igualmente os conceitos da advogada Miriane Ferreira, 36. Especialista em Direito da Família, viralizou com vídeos em que alerta mulheres sobre divócio, pensão e patrimônio. “Eu já aconselhava minhas amigas, resolvi abrir para a mulherada”, conta. Sem juridiquês, ela explica o que há na lei em caso de traição, abuso financeiro, briga por herança, regime de bens, e tudo que envolve a proteção da família. As dúvidas jurídicas viraram o curso online Legalmente Poderosa. “Ensino absolutamente tudo que elas precisam saber sobre direitos no relacionamento, desde o namoro, casamento e as consequências da separação. E dou conselhos, porque existem, sim, homens folgados que querem se aproveitar das mulheres.” Assim, Miriane ficou famosa além do virtual. Ela ganhou um quadro no Faustão na Band: o Direto com a Doutora. “Alcançar quem, às vezes, não teria acesso a um advogado, é uma satisfação. Saber que estou fazendo a diferença na vida de alguém é uma motivação.”

Advogados, professores, arquitetos e outros profissionais viram influenciadores digitais
MIRIANE FERREIRA Advogada influencer ajuda mulheres sobre seus direitos: ganhou quadro no programa de Fausto Silva, na Band (Crédito:Divulgação)

A advogada Janaina Bastos, 41, tem um perfil poderoso como influenciadora trabalhista. Com 2,9 milhões de seguidores em todas as suas contas, instrui o cidadão. Ela foi adiante: estudou marketing e aprendeu a converter os números do ciberespaço para seu escritório. “Sai de 21 CNPJs para uma base de 754”, lista, ao falar dos clientes. A expertise virou combustível para mentorias para profissionais liberais, que desejam investir nas plataformas. “Costumo dizer que quem não está ‘.com’ [ponto com], está ponto fora”, avisa. Aos que têm receio de dar os primeiros passos no digital, ela conta que produz o material sozinha. “Faço tudo com um celular na mão, sem burocracia ou nenhum tipo de estrutura desenvolvida para produção. É fácil. Depois que você começa, pensa: ‘Como eu tinha medo do desconhecido.’”

A empresária Fátima Pissara, CEO da agência de marketing de influência Mynd e autora do livro Profissão Influencer: Como Fazer Sucesso Dentro e Fora da Internet, aponta como se destacar entre um mar de compartilhamentos. “É primordial escolher trabalhar com o que é uma verdade para você”, define. “Depois, é necessário ter disciplina e não desistir. Os seguidores não surgem de um dia para o outro. Influenciadores precisam ter constância e relevância para conquistar credibilidade.”

Advogados, professores, arquitetos e outros profissionais viram influenciadores digitais
LUÍSA LUNIERE Urbanista desmistifica que arquitetura é um serviço elitizado: humor para criticar obras de mansões (Crédito:Divulgação)