Economia

Inflação e juro baixos, crédito e emprego ajudam indústria, diz IBGE

Crédito: Agência Brasil

Uma conjunção de elementos está por trás da melhora na produção industrial nos últimos três meses, e não um fator isolado, disse André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De agosto a outubro, a indústria acumulou uma expansão de 2,4%, na série com ajuste sazonal da Pesquisa Industrial Mensal (PIM). A recuperação foi impulsionada pelos bens de consumo.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

“Tem alguns fatores levando a algum grau de melhora. Isso passa por uma inflação mais comportada, passa por taxa de juros mais baixa, com maior acesso ao crédito, passa por uma gradual melhora do mercado de trabalho, com aumento na massa de rendimentos. E também tem fatores pontuais: a liberação de saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e proximidade de uma data importante do comércio, como a Black Friday, podem estar por trás também dessa aceleração na produção industrial”, enumerou Macedo.

Por outro lado, a categoria de bens de capital ainda mostra comportamento errático. Em outubro ante setembro, a fabricação de bens de capital encolheu 0,3%, após um recuo de 0,4% na leitura do mês anterior.

“Nessa recuperação da produção industrial, quem parece que fica mais de fora é bens de capital”, avaliou Macedo.

Na passagem de setembro para outubro, houve impacto da redução na produção de caminhões e de máquinas para o setor agrícola.

“A despeito de uma safra que permanece crescendo, com reflexos positivos, tem algum tipo de alteração no processo de financiamento de bens de capital agrícolas. A partir de julho, tem mudança na taxa de juros. E a partir do segundo semestre do ano, essa produção de bens de capital agrícolas ficam no campo negativo”, lembrou André Macedo.

Outro empecilho à recuperação dos bens de capital, na visão do pesquisador, é o elevado ambiente de incertezas, que inibe decisões de investimentos por parte do empresariado.

“A despeito de algum tipo de melhora na economia recente, embora ainda bem gradual, ainda existe um ambiente de incerteza que pode ter levado a um adiamento de decisões de investimento”, disse o gerente do IBGE.

Veja também

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Morre mãe de Toni Garrido: “Descanse, minha rainha Tereza”

+ Após morte de cachorro, Gabriela Pugliesi adota nova cadela

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Após cogitar ficar longe da TV, Edu Guedes estreia na Band e ‘rouba’ horario de Mariana Godoy

+ Uma moto 0km, desde 1977 na caixa, vai a leilão e valor pode chegar a mais de R$ 190mil

+ Kit transforma BMW R nineT em réplica de moto dos anos 1930

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea