O presidente da Fifa, Gianni Infantino, afirmou nesta segunda-feira (10) que a condenação na Espanha de três torcedores do Valencia a oito meses de prisão por insultos racistas contra Vinícius Júnior constitui “um passo positivo”.

“Fico satisfeito em ver a ação firme e a sentença adotadas pelas autoridades espanholas em relação ao abuso racista contra Vinícius Júnior (…). É um passo positivo”, escreveu o dirigente da FIFA nas redes sociais.

“Como reiterei claramente no recente Congresso da Fifa em Bangcoc, não podemos mais aceitar o que está acontecendo nos estádios e no campo de jogo. Nossa mensagem para as pessoas de qualquer parte do mundo que ainda se comportam de forma racista no futebol é clara: não as queremos aqui. Essas pessoas devem ser excluídas, não fazem parte da nossa comunidade, nem do futebol”, acrescentou o dirigente suíço.

O presidente da Fifa indicou que defende o reconhecimento do racismo como “um delito penal” em todos os países do mundo e, como na Espanha, pressionará “para que seja tratado com a severidade que merece”.

Três torcedores do Valencia foram condenados nesta segunda-feira a oito meses de prisão por terem proferido insultos racistas em maio de 2023 contra Vinícius Jr., em um jogo do Campeonato Espanhol entre o time da casa e o Real Madrid no estádio Mestalla.

Os três homens, que reconheceram os crimes, também estão proibidos de irem a estádios de futebol em partidas do Campeonato Espanhol ou da seleção espanhola durante dois anos, segundo o acordo ao qual chegaram as partes em um rápido julgamento realizado nesta segunda-feira, indicou o Tribunal Superior de Justiça de Valência em um comunicado.

kn/bm/iga/eb/jb/cb