Economia

Indicador Antecedente de Emprego avança 9,2 pontos em julho ante junho, diz FGV

O Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) subiu 9,2 pontos na passagem de junho para julho, para 65,9 pontos, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV). O resultado foi o terceiro avanço consecutivo, período em que o índice recuperou aproximadamente metade das perdas acumuladas entre fevereiro e abril. Em médias móveis trimestrais, o IAEmp cresceu 8,7 pontos no mês passado.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

“A terceira alta consecutiva do IAEmp sugere continuidade no movimento de recuperação do mercado de trabalho. Contudo, apesar das altas significativas, o indicador se mantém em níveis muito baixos em termos históricos, sugerindo cautela das empresas para contratar em função da elevada incerteza e da dificuldade em se vislumbrar uma retomada rápida da economia. Para os próximos meses, a expectativa é de continuidade desse cenário de retomada gradual”, avaliou Rodolpho Tobler, economista do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.

O Indicador Coincidente de Desemprego (ICD) recuou 0,2 ponto em julho ante junho, para 97,2 pontos.

“O resultado de julho mostra o ICD acomodado em patamar elevado. Depois de registrar piora no início da pandemia, o indicador vem recuperando parte do que foi perdido sugerindo ligeira melhora na taxa de desemprego”, completou Rodolpho Tobler.

O ICD é um indicador com sinal semelhante ao da taxa de desemprego, ou seja, quanto maior o número, pior o resultado. Já o IAEmp sugere expectativa de geração de vagas adiante, quanto menor o patamar, menos satisfatório o resultado.

O ICD é construído a partir dos dados desagregados, em quatro classes de renda familiar, da pergunta da Sondagem do Consumidor que procura captar a percepção sobre a situação presente do mercado de trabalho. O IAEmp é formado por uma combinação de séries extraídas das Sondagens da Indústria, de Serviços e do Consumidor, todas apuradas pela FGV. O objetivo é antecipar os rumos do mercado de trabalho no País.

No IAEmp, todos os sete componentes avançaram em julho. O item de Emprego Previsto na Indústria subiu 20,6 pontos, enquanto a Tendência de Negócios da Indústria aumentou 20,3 pontos. Ambos os componentes registraram uma sequência de quatro altas consecutivas, mas permanecem abaixo do patamar pré-pandemia.

No ICD, a maior contribuição para a ligeira queda de julho foi das famílias de maior poder aquisitivo, que recebem acima de R$ 9,6 mil mensais.

Veja também

+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’

+Após ficar internada, mulher descobre traição da mãe com seu marido: ‘Agora estão casados’

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea