Economia

INCC acelera a 0,93% em janeiro alta alta de 0,88% em dezembro, diz FGV

O Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M) avançou 0,93% em janeiro, uma aceleração ante dezembro, quando teve alta de 0,88%, informou nesta terça-feira, 26, a Fundação Getulio Vargas (FGV). Agora, o indicador acumula elevação de 9,39% em 12 meses. Em janeiro do ano passado, a variação foi positiva em 0,26%, e o acumulado de 12 meses era de 3,99%.

O grupo Materiais, Equipamentos e Serviços registrou expansão de 1,26% no primeiro mês de 2021 (variação de 16,86% em 12 meses), desacelerando em relação ao índice de dezembro, que ficou em 1,76%.

O índice referente a Materiais e Equipamentos subiu 1,43% neste mês, vindo de alta de 2,08% em dezembro. A FGV informou que dois dos quatro subgrupos componentes registraram desaceleração em janeiro, com destaque para materiais para estrutura (2,94% para 1,48%).

Em Serviços, a taxa passou de 0,38% em dezembro para 0,48% em janeiro, sob influência do item taxas de serviços e licenciamentos, que foi de estagnação (0,00%) para alta de 1,22%

Já o grupo Mão de Obra ganhou tração: passou de 0,06% em dezembro para 0,61% em janeiro, e acumulou 3,07% nos últimos 12 meses.


+ Rapper implanta diamante de R$ 128 milhões no rosto
+ PR: Jovem desaparecida é encontrada morta; namorado confessa crime
+ Galo bota ovos e surpreende moradores de Santa Catarina

Maiores influências

As maiores influências de alta no INCC de janeiro vieram de vergalhões e arames de aço ao carbono (4,57% para 3,29%), tubos e conexões de ferro e aço (6,08% para 5,15%), ajudante especializado (0,07% para 0,57%), servente (0,02% para 0,67%) e elevador (0,92% para 1,63%).

A maior influência negativa ficou com cimento portland comum, que foi de 2,68% em dezembro para -0,43% nesta leitura.

Capitais

Das sete capitais brasileiras onde são feitas as pesquisas de preços, somente uma, Belo Horizonte, registrou acréscimo na taxa de janeiro (3,01%) ante dezembro (0,88%).

Houve desaceleração nas taxas de Salvador (1,17% para 1,09%), Brasília (0,64% para 0,42%), Recife (0,89% para 0,77%), Rio de Janeiro (0,94% para 0,79%), Porto Alegre (1,29% para 0,93%) e São Paulo (0,76% para 0,53%).

Veja também

+ Cientistas descobrem nova camada no interior da Terra
+ Aprenda 5 molhos fáceis para aproveitar o macarrão estocado
+ Aprenda a preparar o delicioso espaguete a carbonara
+ Vídeo: o passo a passo de como fazer ovo de Páscoa
+ Perlla mostra tatuagem ousada no bumbum
+ Cientistas desvendam mistério das crateras gigantes da Sibéria
+ Sexo: saiba qual é a melhor posição de acordo com o seu signo
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Como fazer seu cabelo crescer mais rápido
+ Vem aí um novo megaiceberg da Antártida
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Editora estreia com o romance La Cucina, uma aventura gastronômia e erótica

Tópicos

FGV INCC janeiro