ISTOÉ 2016

Imagens revelam buraco no gramado e liberação do Maracanã preocupa times cariocas

Dificilmente o estádio do Maracanã será liberado para a partida entre Fluminense e São Paulo, válida pela 31ª rodada do Brasileirão, em 16 de outubro. Isso porque o gramado do estádio será todo trocado e a previsão é de que o processo todo leve até 35 dias para ser concluído. Nesta quarta-feira, a revelação da imagem de um buraco enorme no centro do gramado deixou claro que muita coisa precisará ser feita até o local ter condições de jogo.

Com 6 metros de comprimento, 4 metros de largura e 1,5 metro de profundidade, a cratera foi feita para acomodar o robô que “dançou” com a norte-americana Amy Purdy na cerimônia de abertura dos Jogos Paralímpicos. Segundo o Comitê Rio-2016, o equipamento foi colocado naquele lugar para evitar danos ao sistema de drenagem do gramado.

Mesmo assim, todo o gramado será trocado – e isso inclui a recolocação de várias camadas do solo. Serão colocadas quatro camadas: uma de argila, para compactação, com um metro de profundidade; outras duas de 10 centímetros (pó de pedra e brita); e outra com areia e matéria orgânica, de 30 centímetros, para a colocação da grama.

A previsão é de que todo o processo leve até 35 dias para ser concluído, podendo ser encurtado dependendo das condições climáticas. O Rio-2016 tem até 30 de outubro para devolver o estádio.

Veja também

+ Cantora MC Venenosa morre aos 32 anos e família pede ajuda para realizar velório
+ Homem salva cachorro da boca de crocodilo na Flórida
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel