Esportes

Ídolo do Internacional, D’Alessandro é o convidado do ‘Grande Círculo’

Programa será exibido na madrugada desta sexta-feira, dia 2, para sábado, às 0h30, logo após o ‘Troca de Passes’, no SporTV

Ídolo do Internacional, D’Alessandro é o convidado do ‘Grande Círculo’

Poucos jogadores na história do Internacional criaram uma identificação tão forte com o clube quanto Andrés D’Alessandro. Um líder daqueles que os torcedores se orgulham de ver em campo defendo o time de coração. Com ele, é intensidade o tempo todo. Pelo Inter, o camisa 10 ganhou Libertadores, Copa Sul-Americana e Recopa Sul-Americana, além de seis troféus estaduais.

Após mais de dez anos no país, período interrompido apenas por uma breve passagem pelo River Plate, em 2016, recebeu recentemente a cidadania brasileira. D’Alessandro é o convidado do ‘Grande Círculo’ que será exibido na madrugada desta sexta-feira, dia 2, para sábado, às 0h30, logo após o ‘Troca de Passes’, no SporTV.

+ “Filho é um inferno e atrapalha”, diz Fábio Porchat sobre não querer ser pai

Em formato remoto, por causa da pandemia de coronavírus, a entrevista foi comandada pelo apresentador Milton Leite e pelos comentaristas Lédio Carmona e Diogo Olivier. O temperamento forte do jogador foi um dos temas da conversa.

– Não me arrependo de nada que fiz. Cheguei aos 39 anos contribuindo com a equipe não só em campo. Meu temperamento jogou contra em muitos momentos, inclusive na Europa. Mas eu tenho isso porque me ensinaram assim. Passei por muitas pedras no caminho e estou aqui, forte. Isso se deve também à personalidade que tenho. Se não fosse ela, de repente já teria encerrado a carreira – explica o argentino, nascido em Buenos Aires.

A estreia de D’Alessandro pelo Internacional já foi um cartão de visitas para uma relação que atravessou uma década: em 13 de agosto de 2008, justamente em um Gre-Nal, o clássico que mexe com os gaúchos. Foi também contra o Grêmio, na semana passada, pela Libertadores, que o meia chegou a 500 partidas pelo Colorado.

+ Polícia aborda ambulância com sirene ligada e descobre 1,5 tonelada de maconha

– Gre-Nal se ganha, Gre-Nal não se joga bem. Outro dia fui dormir 5h30 e olha que joguei pouco. A gente tem de ganhar. Foi o que me ensinaram quando cheguei aqui em 2008. Se consegue vencer jogando bem, melhor, mas fico satisfeito ganhando por meio a zero. Estamos vivendo uma época diferente hoje. Eu já vivi outra com o lado positivo para nós. Passamos quase dois anos e meio sem perder – recorda D’Alessandro, que já marcou 94 gols com a camisa colorada, sendo nove deles em cima do grande rival.

Veja também

+ A incrível história do judeu que trabalhou para os nazistas na Grécia
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela
+ Novo Código de Trânsito é aprovado; veja o que mudou
+Jovem é atropelado 2 vezes ao tentar separar briga de casal em Londrina; veja o vídeo
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel
+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês
+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Educar é mais importante do que colecionar
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea