Finanças

Ibovespa sobe 0,36% com ajuda de ações de commodities

O mercado acionário doméstico enfrentou um vaivém de oscilações nesta quinta-feira, 29, navegando ao sabor de influências nacionais e internacionais. Depois de alternar altas e baixas ao longo de todo o dia, o Índice Bovespa fechou com ganho de 0,36%, aos 62.238,95 pontos. O volume de negócios somou R$ 6 bilhões.

No Brasil, pesaram positivamente notícias que fortaleceram o governo Temer, como a aprovação da reforma trabalhista na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e o envio da denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR) diretamente à Câmara dos Deputados, agilizando o trâmite, como prefere o governo. Já no exterior, a alta do petróleo e das commodities metálicas não foi suficiente para impedir as fortes perdas das bolsas na Europa e Estados Unidos, que limitaram os ganhos por aqui. Nesses mercados, pesaram as preocupações com o fim do ciclo de incentivos econômicos na Europa, a exemplo do que tem feito o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) nos Estados Unidos.

“Era para a nossa bolsa ter ido bem melhor, a contar pela alta das commodities, da redução da meta de inflação e da aprovação da reforma trabalhista na CCJ do Senado. Mas as quedas em Nova York foram fortes o suficiente para barrar um movimento comprador por aqui”, disse um experiente operador de renda variável.

A alta do Ibovespa foi garantida justamente pelas blue chips ligadas a commodities, que acompanharam o avanço dos preços dos insumos no mercado internacional. A valorização dos materiais básicos refletiu sinais de diminuição da produção de petróleo nos Estados Unidos e a perspectiva de maior demanda por minério de ferro na China. No mercado à vista chinês, o minério subiu 3,82% hoje, a US$ 64,71. Com isso, Vale ON e PNA subiram 0,38% e 0,49%, respectivamente. Petrobras ON e PN, por sua vez, ganharam 1,01% e 0,83%.

As quedas estiveram bastante concentradas no setor elétrico, comandado por Eletrobras PNB (-4,71%) e Eletrobras ON (-4,27%), as duas maiores baixas do Ibovespa. A queda foi atribuída a uma realização de lucros recentes, que influenciou outros papéis do setor, como Cemig PN (-2,18%) e Copel PNB (-0,70%). O setor bancário voltou a apresentar desempenho essencialmente positivo, embora sem mostrar entusiasmo do investidor.

Com o resultado de hoje, o Ibovespa passa a contabilizar alta de 1,89% no acumulado da semana e baixa de 0,75% em junho. O saldo dos investimentos estrangeiros no mercado de ações estava negativo em R$ 1,465 bilhão no mês, até o dia 27.

Tópicos

bovespa