Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) – O Ibovespa avançava cerca de 2% nesta quinta-feira, com ações de commodities entre os principais suportes, em sessão de acomodação de ativos de risco no exterior, após movimentos mais negativos nas últimas semanas por conta das preocupações com a atividade econômica global.

Às 12h05, o Ibovespa subia 1,92%, a 100.617,01 pontos, na segunda alta seguida, após começar a semana renovando uma mínima desde o começo de novembro de 2020. O volume financeiro nesta sessão somava 8,6 bilhões de reais.

“Apesar da inflação elevada e do risco de recessão global continuarem no radar dos investidores, o tom é positivo no mercado de ações internacional”, afirmou a equipe da Ágora Investimentos, destacando que essa melhora do humor externo pode trazer alívio aos ativos domésticos.

Em Wall Street, o S&P 500 avançava 1%, dando continuidade ao tom positivo das praças acionárias na Europa e Ásia, assim como subiram os preços de commodities como o minério de ferro e o petróleo após fortes quedas recentes.

Na bolsa paulista, os últimos pregões têm sido marcados por uma queda de braço entre incertezas globais e riscos fiscais no Brasil que desanimam compras e preços de alguns papéis que desencorajam vendas pelos investidores, com o Ibovespa quase estável no acumulado da semana até a véspera.

Do ponto de vista técnico, analistas do Itaú BBA destacaram que o cenário continua delicado, com o Ibovespa mostrando dificuldade para recuperar e necessitando de “incentivo externo” para uma retomada, conforme relatório a clientes.

DESTAQUES

– VALE ON avançava 3,3%, com ações de mineradoreas e siderurgias mostrando recuperação, uma vez que os preços dos futuros do minério de ferro na Ásia fecharam em alta nesta quinta-feira. No setor, GERDAU PN valorizava-se 6%, USIMINAS PNA tinha elevação de 3,9% e CSN ON subia 4,55%.

– SLC AGRÍCOLA ON subia 5,2%, após divulgar atualizações de suas projeções de safra 2021/2022, acrescentando que a soja é a única cultura com colheita finalizada na safra 21/22, atingindo 3.994 quilos por hectare, 6,1% acima do previsto. A recuperação das ações vem após elas tocarem na véspera uma mínima intradia desde o começo de março.

– MRV ON valorizava-se 5,4%, tendo de pano de fundo relatório do Itaú BBA, reiterando recomendação “outperform” e sua preferência pela ação da construtora no setor citando os impactos positivos de potenciais mudanças no programa habitacional Casa Verde Amarela, que eles avaliam que investidores estão subestimando.

– PETROBRAS PN tinha elevação de 3,8%, acompanhando a recuperação dos preços do petróleo, após queda nos últimos dois pregões, a ação da petrolífera acumulou um recuo de 5%. No exterior, o petróleo Brent mostrava acréscimo de 4,9%. No setor, PETRORIO ON e 3R PETROLEUM ON subiam 3% e 2,6%, respectivamente.

– BRF ON caía 1,8%, após atingir mais cedo máxima intradia em quase três meses, a 16,19 reais, fazendo a alta acumulada nesses primeiros pregões de julho chegar a 19,1%. O papel tem encontrado suporte no atual cenário de queda dos preços do milho, que resulta em menor custo de ração aos animais, e exportações robustas de carne de frango.

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEI660RU-BASEIMAGE