Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais

A economia brasileira voltou ao campo positivo em fevereiro após recuo em janeiro, conforme o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br). O indicador subiu 0,34% ante o mês anterior, considerando a série livre de efeitos sazonais. Em janeiro, a queda havia sido de 0,73% (dado revisado nesta segunda-feira, 2).

Com a trégua na greve dos servidores do BC até hoje, a autarquia começou a atualizar na semana passada as divulgações que estavam atrasadas, como o IBC-Br, que deveria ter sido divulgado 14 de abril. Os servidores vão retomar a greve a partir desta terça-feira (3) e o BC ainda não se pronunciou sobre o efeito nas divulgações.

De janeiro para fevereiro, o índice de atividade calculado pelo BC passou de 138,83 pontos para 139,30 pontos na série dessazonalizada, apenas superando o patamar do primeiro mês de 2022. Em dezembro, o IBC-Br marcou 139,85 pontos.

O resultado veio um pouco abaixo da mediana das estimativas do mercado financeiro, positiva em 0,40%, na pesquisa Projeções Broadcast, cujo intervalo das previsões ia de queda de 0,20% a alta de 1,70%.

Na comparação entre os meses de fevereiro de 2022 e de 2021, houve crescimento de 0,66% na série sem ajustes sazonais. Esta série registrou 135,52 pontos no segundo mês do ano, o melhor desempenho para o período desde 2015 (136,65 pontos).

O indicador de fevereiro de 2022 ante o mesmo mês de 2021 também ficou dentro do intervalo projetado pelos analistas do mercado financeiro consultados pelo Projeções Broadcast, que esperavam de recuo de 1,30% a crescimento de 1,20%, com mediana positiva de 0,30%.

A economia brasileira mostrou expansão no primeiro bimestre, considerando os dados sem ajuste sazonal do IBC-Br. O Banco Central informou que o indicador teve crescimento de 0,44% na comparação com o mesmo período de 2021. Em 12 meses até fevereiro, o IBC-Br mostra avanço de 4,82%.

No trimestre finalizado em fevereiro ante os três meses anteriores (setembro a novembro), houve alta de 0,27%, pela série ajustada sazonalmente. Na comparação com o mesmo período do ano anterior, houve aumento de 0,88% pela série sem ajustes sazonais.

Revisões

O Banco Central revisou nesta segunda-feira dados do IBC-Br na margem, na série com ajuste. O índice de janeiro variou de -0,99% para -0,73%, já o de dezembro de 2021 continuou em +0,32%. O índice novembro passou de +0,47% para +0,45%, enquanto o indicador de outubro foi de +0,06% para +0,05%. O resultado de setembro foi mantido em -0,57%. No caso de agosto, o IBC-Br variou de +0,11% para +0,10% e o dado de julho continuou em -0,12%.