Economia

Iata defende modelos mais equilibrados de concessões para aeroportos


Em defesa de modelos mais “equilibrados” de concessões aeroportuárias, a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês) desenvolveu em parceria com a Deloitte um libreto tratando do assunto. Entre os riscos para o setor apontados pela associação estão: prazos de concessão injustificavelmente longos, seleção com base no maior ágio, engajamento limitado dos acionistas, planos de construção e cobranças superestimadas, além de alto risco para as aéreas e os consumidores e mínimo para as concessionárias.

De acordo com Nick Careen, vice-presidente sênior da Iata, o modelo de concessão aeroportuária ideal precisa levar em conta os interesses de todas as partes interessadas e permitir uma abordagem mais colaborativa ao longo da concessão.

No caso do Brasil, a Iata reconhece que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) incorporou diversas recomendações da associação na quinta rodada de concessões e que o atual modelo revisado é mais consistente com o novo modelo pregado pela Iata.

A associação destaca ainda o fato da Anac também estar considerando a introdução de melhorias em sua sexta rodada, em 2020.

Historicamente, observa o executivo, as concessões aeroportuárias têm sofrido com contratos indevidamente longos e arbitrários. Por exemplo, para Aeroports de Paris a concessão proposta é de 70 anos. Os aeroportos de Sydney foram privatizados em 2002 com um arrendamento de 50 anos, mais um ano de extensão opcional.

Aliado a isso, a Iata cita ainda exemplos de taxas de concessão muito altas: onde uma grande fatia da receita bruta do aeroporto é desviada para o governo e não reinvestida necessariamente na aviação. Em Santiago do Chile, por exemplo, a taxa vencedora baseou-se em 78% da receita bruta.

A associação destacou ainda exemplos de concessões em que a infraestrutura acordada no contrato simplesmente não atende aos requisitos operacionais das companhias aéreas e passageiros.

O executivo observa ainda que o engajamento e compartilhamento de informações entre o aeroporto, o operador e os utilizadores das instalações aeroportuárias precisam ser consideravelmente melhorados. E isso só acontecerá quando os interesses de todos os envolvidos sejam definidos e a concessão seja devidamente protegida.

*A jornalista viaja a convite da Associação Internacional de Transporte Aéreo


Saiba mais
+ Morre a atriz Noemi Gerbelli, a diretora Olívia da novela 'Carrossel', aos 68 anos
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais