Esportes

Húngaro Aron Szilagyi conquista tricampeonato olímpico no sabre


O húngaro Aron Szilagyi, 31 anos, se tornou neste sábado em Tóquio o primeiro esgrimista a conquistar três títulos olímpicos consecutivos, uma façanha que só havia sido alcançada até agora por uma mulher, a italiana Valentina Vezzali no florete.

Na final de Tóquio-2020, a primeira da esgrima em Tóquio-2010, Szilagyi, quarto do ranking mundial, derrotou o italiano Luigi Samele (11º) por 15-7 e conquistou sua terceira medalha de ouro olímpica, depois de Londres-2012 e Rio-2016.

O sul-coreano Kim Junghwan conquistou o bronze, ao superar o georgiano Sandro Bazadze na disputa do terceiro lugar por 15-11.

O êxito de Szilagyi é mais uma consagração para a escola húngara da esgrima. O nível de excelência é tamanho que um bicampeão olímpico (1968 e 1972) da espada, Paul Schmitt, foi presidente da República em 2010.

Szilagyi também é conhecido por sua inteligência. Ele já venceu vários concursos de matemática.

Na categoria espada feminino, a chinesa Yiwen Sun conquistou a medalha de ouro ao derrotar na final a romena Ana Maria Popescu por 11-10.

O combate terminou 10-10 e a atleta da China conquistou o ponto de ouro no tempo extra.

A estoniana Katrina Lehis faturou o bronze ao superar Aizanat Murtazaeva, que representa o Comitê Olímpico Russo, por 15-8 na disputa do terceiro lugar.

lrb/fbx/dr/psr/fp

Veja também
+ Corpo de jovem desaparecido é encontrado em caçamba de lixo
+ Corpo de Gabby Petito é encontrado, diz site; legista afirma que foi homicídio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Vídeo: família é flagrada colocando cabelo na comida para não pagar a conta
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Instituto Gabriel Medina fecha portas em Maresias
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio