Esportes

Hortência celebra entrada no Hall da Fama do COB e reconhecimento de sua carreira

Confirmada há 11 dias como nova integrante do Hall da Fama do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Hortência ingressou oficialmente neste seleto grupo em uma cerimônia realizada nesta terça-feira, no CT do Time Brasil, no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio, onde celebrou a homenagem e o reconhecimento da entidade pela sua gloriosa trajetória na seleção feminina de basquete.

Maior cestinha da história da equipe nacional, com 3.160 pontos, a ex-jogadora ressaltou: “É uma honra receber essa homenagem, mostra que vale a pena escolher o caminho do esporte, se entregar a ele e tentar ser a melhor atleta. Não foi algo fácil, encontrei muitas dificuldades pelo caminho, mas isso me fez crescer”.

Em seguida, Hortência destacou que o seu esforço agora está sendo valorizado. “Depois de todo aquele sacrifício que o atleta precisa fazer durante a carreira, agora é o momento das homenagens. Vamos aproveitar”, reforçou.

Em sua longa caminhada como jogadora da seleção, ela teve entre os seus maiores feitos as conquistas de um título mundial em 1994, de uma medalha de prata na Olimpíada de Atlanta-1996 e uma de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Havana-1991.

Hortência se tornou o quinto nome, entre os ex-atletas, a ingressar no Hall da Fama do COB, que já conta também com Torben Grael (vela), Vanderlei Cordeiro de Lima (atletismo), Jackie Silva e Sandra Pires (ambas do vôlei de praia). No último dia 14, a entidade confirmou outros nove integrantes para entrar neste grupo de homenageados em 2019. São eles: Chiaki Ishii (judô), Paula (basquete), Joaquim Cruz (atletismo), Bernardinho e José Roberto Guimarães (do vôlei), além dos já falecidos Guilherme Paraense (tiro), Maria Lenk (natação) e João do Pulo e Sylvio Magalhães Padilha (ambos do atletismo).

Na cerimônia nesta terça, realizada neste 25 de junho em que se comemora o Dia Olímpico, também estiveram presentes outros grandes nomes do esporte nacional, como Lars Grael (vela), Luísa Parente (ginástica artística), Patrícia Amorim e Rogério Sampaio (ambos judô). Este último, atual diretor geral do COB, exaltou a justa homenagem à Hortência.

“Gostaria de destacar a medalha de prata em Atlanta-1996 porque tive a grande alegria de assistir ao jogo no ginásio. Foi um momento inesquecível para mim. Temos saudade de poder torcer pela Hortência como atleta, mas ao mesmo tempo fico muito feliz de ver que se trata de uma pessoa que vive o Movimento Olímpico diariamente. É uma honra tê-la no Hall da Fama”, afirmou o ex-judoca, que foi medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos de Barcelona-1992, ao se referir à final em que o time feminino de basquete do Brasil foi derrotado pelas anfitriãs norte-americanas.

Veja também

+ Cantora MC Venenosa morre aos 32 anos e família pede ajuda para realizar velório
+ Homem salva cachorro da boca de crocodilo na Flórida
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel