Edição nº2552 15/11 Ver edições anteriores

Hora de votar

Wilson Dias/ABr

Mito 1

Na reta final da campanha eleitoral diversos mitos surgiram no Brasil. Um diz respeito à relação internet e voto. Segundo o cientista político Ricardo Guedes, do Instituto Sensus, a importância das redes sociais na definição do voto está superdimensionada. Somente 14% escolhem seu candidato por essas mídias, em especial o Facebook e o Twitter. Desses, 2/3 são Bolsonaro e 1/3 é Haddad . “Ficam autorreplicando suas ideologias sem a geração de novos votos”, acentua.

Mito 2

A previsão de que a indignação social ia se transformar em grande abstenção, brancos e nulos não se confirmava antes dos brasileiros irem às urnas. “O eleitor se comporta com interesse nas eleições”, afirmou Ricardo Guedes, na quinta-feira 4, prevendo índices de abstenção, brancos e nulos equivalentes às eleições passadas.

Mito 3

“Com o crescimento dos candidatos com mais voto masculino do que feminino, o voto feminino tende a acompanhar o voto masculino na reta final das eleicões, como nos casos de Bolsonaro e Haddad”, declarou ainda o dirigente do Instituto Sensus. Agora, como faz questão de destacar, o que está hoje em jogo no País não é uma questão de gênero, “mas de posição política”.

Frigoríficos
Quase no fim

A Polícia Federal corre contra o tempo para concluir em 15 de outubro o inquérito da Operação Trapaça, desdobramento da Carne Fraca, que acertou em cheio grandes indústrias como a BRF. As investigações apontaram laboratórios credenciados junto ao Ministério da Agricultura que fraudavam laudos sobre a presença da bactéria salmonela em produtos para a exportação. Para a PF, há diversos crimes nos casos analisados, que tem como um dos alvos o ex-diretor-presidente da BRF, Pedro de Andrade Faria.

Agências Reguladoras
Mudança (inesperada) de rumo

É grande a insatisfação de entidades de defesa do consumidor com Willian Dib, novo presidente da Anvisa. De forma inesperada, ele pretende mudar o acordado sobre as normas de rotulagem de alimentos, inspiradas em países como Chile, Uruguai e Peru. Quando diretor da agência e cotado para o cargo, Dib dizia que daria sequência ao bom trabalho do seu antecessor, Jarbas Barbosa. Agora, quer rever propostas, como as da indústria de alimentos.

Política
Deixa para lá!

Michel Temer quis usar as redes sociais no curso da campanha eleitoral para ressaltar que as decisões de Henrique Meirelles no Ministério da Fazenda fizeram parte de seu programa de governo. Usou a mídia para contestar Geraldo Alckmin e Fernando Haddad. O presidente não gostou de ver o candidato de seu partido falando na primeira pessoa, inclusive exibindo foto ao lado de Lula na propaganda obrigatória na TV. Na última hora prevaleceu a decisão de que não deveria gastar verbo com um candidato sempre por baixo nas pesquisas eleitorais.

Congresso

Jefferson Rudy/Agência Senado

Senador no processo

Em caráter de urgência, a 4ª Vara Cível, de Nova Iguaçu, expediu ofício restabelecendo a indisponibilidade dos bens da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, bem como a penhora on-line de ativos financeiros no valor de
R$ 1.225.070,00. Tudo em função de uma ação de improbidade administrativa movida pelo Ministério Público, na qual um dos réus é o senador e candidato a reeleição Lindberg Farias. Em questão, um convênio que assinou com a FNLIJ para realização de bienal do livro em Nova Iguaçu, quando prefeito do município.

Presidência da República

Andre Borges / AGIF

Busca luz

Sob a coordenação da Casa Civil, o Palácio do Planalto prepara uma série de eventos festivos para depois do segundo turno das eleições. Serão em média três atos públicos por semana marcando a despedida de Michel Temer do cargo. Em outras palavras, ele não quer passar os dias finais do mandato tomando cafezinho frio e vendo a paisagem da janela de seu gabinete. Também um volumoso livro sobre o estado de todas as ações do governo está sendo preparado a toque de caixa, para entrega ao presidente eleito.

Justiça
Custa caro

Segundo o relatório Justiça em Números, recém-editado pelo CNJ, o Poder Judiciário gastou R$ 90,8 bilhões, o que equivale a 1,4% do PIB, em 31 milhões de processos. No final de 2017, o estoque de ações pendentes para julgamento era de 80,1 milhões, o que leva a crer que seriam necessários quase três anos de trabalho só para dar conta do volume. Nos últimos nove anos chegaram aos tribunais 20 milhões de processos.

JUCÁ
Incômodo

Nada deixa o presidente do BNDES mais chateado do que ser associado ao senador Romero Jucá. Fiel servidor do governo Dilma no Ministério da Fazenda, Dyogo Oliveira chegou ao cargo de ministro do Planejamento depois que Jucá foi defenestrado do posto, no início da gestão Temer. Foi para o BNDES sob o beneplácito do senador, conhecido pela prática de mandar e desmandar na liberação de emendas parlamentares, uma das atribuições da Pasta do Planejamento.

Tabaco
Derrota do cigarro

A indústria do tabaco acaba de sofrer novo revés após o empate no Supremo Tribunal Federal , que manteve em vigor a norma da Anvisa que proíbe a venda de cigarros com sabor no Brasil. A 9ª Vara Federal de Brasília negou o pedido do sindicato que representa os fabricantes, que questionava o poder da agência para decidir sobre o assunto. A entidade argumentava que a medida, para valer, teria de ser aprovada pelo Legislativo. O juízo entendeu que não.

Tecnologia
Da vida ao cupido

Em evento sobre a transformação digital, o cientista Raymond McCauley, presidente do Biotech Track, no Vale do Silício, deu a boa notícia: até dezembro, o custo para sequenciar o genoma de uma pessoa custará o equivalente ao preço de uma pizza. Em poucos anos – foi além – fazer o teste dos genes sairá mais em conta do que dar descarga no banheiro. A análise do DNA pode ajudar no combate a doenças, assim como auxiliar a detectar fraudes e substâncias indesejadas em alimentos. Já existem mais de 400 empresas usando a tecnologia de DNA em produtos e serviços, inclusive para quem quer achar o par ideal.

Previdência Social

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Jovem viúvo?

A Justiça Federal em Minas Gerais suspendeu a pensão de R$ 6.584,00 que Diogo Freire Leite, 29 anos, recebia há um mês. Em 2009, aos 19 anos, ele se casou com a tia-avó Calina da Silveira Guimarães. Servidora da Universidade Federal de Juiz de Fora, a noiva tinha 84 anos. Morreu em julho. No Facebook Diogo não revelava a união, mas sempre postou fotos e relatos de viagens ao exterior e presença em baladas, cercado de jovens. O pedido de pensão ao INSS foi feito pela mãe de Diogo, funcionária do órgão. Como a média de vida do brasileiro é de 76 anos, a AGU estimou que o benefício renderia R$ 4.022.824,00 a ele. Foi cessado já e terá desdobramentos para mãe e filho.

Turismo

Boa ação

A partir de 12 de outubro, os visitantes do Cristo Redentor podem fazer doações de R$ 4,60 na hora da compra do ingresso. O arrecadado irá para a Cúria Diocesana usar na conservação do monumento, um dos mais importantes do Brasil. A iniciativa une o ICMBio e a Igreja Católica.


Mais posts

Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.