Tecnologia & Meio ambiente

Hong Kong fecha estádios, praias e museus para combater epidemia de coronavírus

Hong Kong fecha estádios, praias e museus para combater epidemia de coronavírus

Passageiro se protege contra o novo coronavírus, em estação de trem de Hong Kong - AFP

Hong Kong anunciou, neste terça-feira (28), que fechará locais públicos, como estádios, museus e piscinas, para enfrentar a propagação do novo coronavírus, que já provocou a morte de 106 pessoas na China.

Todos os espaços de lazer serão fechados a partir de quarta-feira para evitar “as reuniões de pessoas”, informaram as autoridades, que no sábado decretaram estado de emergência máximo em todo território de Hong Kong.

Até agora, a ex-colônia britânica registrou oito casos de vírus. Seis deles foram em pessoas procedentes da China continental de trem.

Todas as salas e quadras de esporte, piscinas pública, praias, centros de férias e estabelecimentos culturais, como os museus, ficarão fechados até novo aviso, anunciou um comunicado oficial.

Atualmente fechadas pelas festas do Ano Novo chinês, escolas e universidades permanecerão fechadas até 17 de fevereiro.

Desde segunda-feira, todos os habitantes da província de Hubei, epicentro da epidemia, e todas as pessoas que a visitaram nas últimas duas semanas, estão proibidas de entrar em Hong Kong.