Luiz Antonio Iurkiewiecz, preso pelo atentado contra o Ministério da Justiça e Segurança Pública em novembro de 2020, é um colecionador de armas registrado no Exército, conhecidos como CACs (colecionadores, atiradores desportivos e caçadores).

De acordo com as informações do Fantástico, da TV Globo, o CACs é o principal beneficiado pela flexibilização de armas, tema apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

No dia 15 de novembro de 2020, Luiz jogou o carro contra o Palácio da Justiça e foi denunciado por crime contra a Segurança Nacional pelo Ministério Público Federal (MPF). O automóvel foi lançado de encontro à portaria da sede principal do Ministério da Justiça e Segurança Pública, em Brasília.

Segundo as investigações, o objetivo era que a ação fosse um atentado ao Supremo Tribunal Federal (STF), mas o homem teria errado o prédio.


Siga a IstoÉ no Google News e receba alertas sobre as principais notícias