Geral

Homem preso por atacar Ministério da Justiça era atirador registrado pelo Exército

Crédito: Divulgação/PMDF

Luiz Antonio Iurkiewiecz, preso pelo atentado contra o Ministério da Justiça e Segurança Pública em novembro de 2020, é um colecionador de armas registrado no Exército, conhecidos como CACs (colecionadores, atiradores desportivos e caçadores).

De acordo com as informações do Fantástico, da TV Globo, o CACs é o principal beneficiado pela flexibilização de armas, tema apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

No dia 15 de novembro de 2020, Luiz jogou o carro contra o Palácio da Justiça e foi denunciado por crime contra a Segurança Nacional pelo Ministério Público Federal (MPF). O automóvel foi lançado de encontro à portaria da sede principal do Ministério da Justiça e Segurança Pública, em Brasília.

Segundo as investigações, o objetivo era que a ação fosse um atentado ao Supremo Tribunal Federal (STF), mas o homem teria errado o prédio.

Saiba mais
+ Mãe de Medina compara Yasmin Brunet a ‘atriz pornô’ e colunista divulga conversa
+ Chamada de atriz pornô, Yasmin Brunet irá processar mãe de Gabriel Medina
+ Mulher divide marido com mãe e irmã mais nova: ‘Quando não estou no clima’
+ Em pose sexy, Cleo Pires afirma: "Amando essa minha bunda grande"
+ Médicos encontram pedaço de cimento em coração de paciente durante cirurgia
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio